Toque controverso impede triunfo de Albuquerque e Barbosa

A 55.ª edição das 24 Horas de Daytona foi emocionantes e disputada até final, mas decidia por uma manobra pouco ortodoxa de Ricky Taylor, que no Cadillac DPi-V.R. # 10 da Wayne Taylor Racing deu um toque em Filipe Albuquerque que o atirou para fora da pista.

Infelizmente a IMSA não aplicou qualquer penalização ao norte-americano, privando provavelmente a equipa da Mustang Sampling de uma vitória na mais importante corrida do campeonato IMSA.
Depois de uma situação de bandeiras amarelas, Filipe Albuquerque estava na frente da corrida, e no reatamento veio o esperado ataque de Ricky Taylor, que à imagem do que havia feito uma hora antes tentou a ultrapassagem ao português.

O Cadillac # 5 chegou a ter o # 10 a seu lado, mas desta vez Filipe não concedeu espaço a Ricky, que teve de se manter atrás do carro da Mustang Sampling para evitar a colisão, que ocorreria na tentativa seguinte, quando o norte-americano não fez qualquer cerimónia em atirar o português para fora da pista.
Quase decalcada da luta que decorria na frente, a luta pelo triunfo em GT Le Mans esteve ao rubro, só que com mais protagonistas, ainda que nos últimos se tenha centrado entre Dirk Mueller e Patrick Pilet.

A diferença é que neste duelo tudo foi mais leal, e o alemão levou o Ford # 66 a um triunfo justo, diante de um Porsche # 911 RSR bastante eficaz, que deu ao francês um segundo lugar muito ‘transpirado’ diante do ataque final de James Calado.
Em GT Daytona a luta não foi menos intensa, com Michael Christansen no Porsche 911 GT3R # 28 a garantir o triunfo também na volta final, batendo Christopher Mies, no Audi R8 LMS # 29.

Já Pedro Lamy teve de contentar-se com a 12.ª posição com o Aston Martin #98 que mais uma vez dividiu com Mathias Lauda e Paul Dalla Lana.

Classificação final
1.º R.Taylor/J.Taylor/Gordon/Angelelli (Cadillac) 659 voltas
2.º Barbosa/Fittipaldi/Albuquerque (Cadillac) a 0,671
3.º Goosens/Van der Zande/Rast (Multimatic Riley) a 1 volta
4.º Sharp/Dalziel/Derani/Hartley (Nissan) a 3 voltas
5º Mueller/Hand/Bourdais (Ford) a 7 voltas
6º Pilet/Werner/Mackowiecki (Porsche) a 7 voltas
7.º Fisichella/Calado/Vilander (Ferrari) a 7 voltas
8.º Garcia/Magnussen/Rockenfeller (Chevrolet) a 7 voltas
9.º Tinknell/Priaulx/Kanaan (Ford) + 7 voltas
10.º Estre/Vanthoor/Lietz (Porsche) a 7 voltas