Verdadeira hecatombe no Rali de Portugal

Jari-Matti Latvala, Kris Meeke, Hayden Paddon foram os grandes azarados desta antepenúltima especial do segundo dia de prova do Rali de Portugal. O finlandês da Toyota, quando estava apenas a um décimo da liderança do rali ocupada por Ott Tanak, capotou e perdeu 4m47m1s, caindo, com isso para a décima posição da geral, ficando por isso sem quaisquer hipóteses de alcançar um bom resultado em Portugal. O finlandês foi uma das boas surpresas do dia ao chegar à liderança no final da terceira especial, mas agora tudo terminou….

Para que se perceba da dureza do troço, os pilotos costumam melhorar significativamente os seus registos nas segundas passagens, mas neste Ponte de Lima, isso não aconteceu, bem antes pelo contrário. Devido a esta dureza, Kris Meeke também ficou pelo caminho, devido a problemas com a suspensão do seu Citroën C3 WRC, enquanto Hayden Paddon viu o seu Hyundai i20 WRC desligar-se, não mais o conseguindo por a funcionar.

Dani Sordo venceu a especial 2.6s na frente de Sébastien Ogier, com Ott Tanak logo a seguir, mais 2.0s atrás do seu colega de equipa, e por isso na geral foi quem mais beneficiou dos acontecimentos, já que dilatou a sua liderança que era 0.1s para 3.6s, agora face a Dani Sordo, dos poucos pilotos que não tiveram problemas. Sébastien Ogier é terceiro a 3.6s, com Craig Breen a fazer nova excelente prova e a ser quarto classificado, a 10.8s do líder. Já um pouco mais afastado está Elfyn Evans, que dista 18.1s da frente.

Muito azarado esteve Thierry Neuville, que perdeu muito tempo depois de ter rodado cerca de 5 Km no pó de Latvala, que acusou de estar a pilotar “mais devagar que a minha avó” dizendo também que gostaria que os Comissários olhassem para esta questão pois fê-lo perder tempo e depois parou para o Ott Tanak passar.

Dentro em pouco, faremos aqui a análise deste dia de prova, que, recorde-se, ainda vai ter mais duas especiais, que pouco vão mudar em termos de classificação, a Braga Street Stage.

Tempos Online: CLIQUE AQUI