Camião autónomo Volvo anda na apanha da cana de açúcar

A Volvo Trucks do Brasil desenvolveu um camião equipado com um sistema de assistência à condução que automatiza a direção, ajudando a aumentar a produção de cana de açúcar. No futuro, a marca prevê disponibilizar comercialmente esta solução aos produtores brasileiros de cana de açúcar.

 

A Volvo Trucks desenvolveu um camião autónomo que poderá ajudar a melhorar a rendibilidade dos produtores brasileiros de cana de açúcar. O veículo dispõe de um sistema de ajuda à condução que permite automatizar a direção, possibilitando o seu progresso ao longo dos campos sem danificar as jovens plantas que irão dar origem à safra do ano seguinte. Até agora, as estimativas apontavam para perdas de 4% devido ao esmagamento do solo e das plantas pelos veículos em movimento, algo que poderá ser evitado recorrendo à condução autónoma.

 

O camião foi desenvolvido no Brasil durante cerca de um ano e depois foi testado em Maringá, numa propriedade do Grupo Usina Santa Terezinha, que se dedica à produção de açúcar e etanol a partir das suas próprias plantações. Na última colheita, a propriedade daquela empresa serviu como campo de testes para o protótipo da Volvo Trucks. O camião foi desenvolvido para que pudesse ser estudada uma forma de evitar danos no solo e nas colheitas, aumentando assim as receitas.

Atualmente, a cana-de-açúcar é cortada pelos agricultores, sendo depois colocada em camiões conduzidos manualmente, que circulam ao lado da pessoa a baixa velocidade. Quando um camião está totalmente carregado e sai para descarregar a sua carga, avança um outro para junto do agricultor, repetindo-se o processo. Com o método “tradicional” o maior desafio para o motorista do camião é acompanhar a velocidade do apanhador e ao mesmo tempo concentrar-se totalmente na condução ao longo do caminho para não esmagar as plantas que se irão tornar na produção do próximo ano.

A Volvo Trucks resolveu o problema com um sistema de assistência à condução que automatiza a direção. Isso permite ao veículo manter a trajetória correta junto ao apanhador sem danificar as plantas. Com o auxílio de recetores de GPS, o camião segue um mapa delineado previamente ao longo do campo de cana de açúcar. Dois giroscópios asseguram que não só as rodas dianteira como todo o camião mantém a direção com elevada precisão, impedindo que se afaste mais de 2,5 cm do percurso estabelecido. Depois de carregado, o motorista pode optar por regular a velocidade com auxílio do cruise-control ou acelerar e travar manualmente.

Neste verão, o projeto-piloto irá passar para a fase de desenvolvimento de produto, com mais veículos no campo. No futuro está prevista a disponibilização comercial desta solução de condução autónoma. Entretanto, a Volvo Trucks do Brasil irá oferecer aos seus clientes do setor da cana de açúcar um avançado sistema de cartografia baseado em GPS, que permite manter um trajeto pré-determinado, embora a direção ainda tenha de ser controlada manualmente. Pelo menos, para já…

Texto: Carlos Moura

Artigo publicado originalmente no site da Turbo Oficina.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.