Hesketh Valiant: Exclusividade e desempenho

A Hesketh acaba de apresentar no Salão de Londres a sua última versão de moto desportiva, a Hesketh Valiant, modelo no qual se optou por incluir tecnologia turbo.

A Hesketh é uma marca legendária inglesa que foi relançada em 2014 pelo empresário Paul Sleeman e que acaba de lançar um novo modelo , a Hesketh Valiant, uma edição especial da sua anterior Hypernaked Hesketh 24, uma edição limitada a 24 unidades que se venderam todas à época pelo preço de 40.000 euros. No verão passado a estratégia seguiu com a apresentação da versão Sonnet que ainda se encontram algumas unidades à venda por 29.000 eur.

O novo modelo apresentado, a Valiant, é uma versão sobre alimentada que debita de momento 210 CV mas que se irão converter em 250 CV quando terminem os trabalhos de investigação e desenvolvimento que estão a decorrer.

Tal como as restantes Hesketh também a Valiant monta um motor de dois cilindros em V a 56,25º denominado X-Wedge e fabricado pela empresa norte-americana S&S. O X-Wedge conta com colassa OHC e uma cilindrada de 2.097cc, cujos 145CV originais passam a 210CV com a montagem de um turbo compressor da empresa dinamarquesa Rotrex, com capacidade de atingir a 150.000 rpm. O binário é também impressionante de 295Nm às 3.000 rpm. A caixa de 6 velocidades é suportada por uma embraiagem hidráulica multidisco de uma dimensão faraónica.

Os engenheiros da Hesketh, Iain Miles e Nick Arlet, trabalharam em conjunto com o conhecido preparador britânico TTS Performance, que tem a sua sede no circuito de Silverstone e representam a Rotrex no Reino Unido.

A denominação Valiant tem origem no nome de um dos bombardeiros ingleses da RAF que participou na corrida às armas nucleares por parte da Grã-Bretanha nas décadas de 50 e 60. Formava parte de um grupo de 3 bombardeiros e todos eles com nomes que começavam por V, Vulcan, Victor e Valiant. O primeiro foi precisamente o denominado Vickers Valiant, que se estreou em 1951 e entrou ao serviço em 1955. A Hesketh já tinha utilizado a designação “Vulcan” num dos seus modelos dos anos 90 , uma V1000 e a Vauxhall tinha registado o Victor pelo que apenas a designação Valiant estava livre.

O quadro tubular em aço de duplo berço é semelhante ao já utilizado nas versões anteriores 254 e Sonnet. Está fabricado pela empresa britânica GIA que incorpora engenheiros da famosa Spondon. O braço oscilante está construído em alumínio e contém o depósito de 4,5 litros de óleo do motor de carter seco. Consegue-se assim libertar espaço para colocação do turbo Rotrex.

As suspensões são umas K-Tech KTR-2 invertidas , totalmente reguláveis e com baínhas de 50mm. A suspensão traseira está a cargo de de dois amortecedores Razor exactamente da mesma marca britânica.

As jantes da Valiant são compostas por 3 peças mecanizadas a partir de uma só peça em alumínio, ao estilo Astralite e de desenho da própria Hesketh e unidas entre si por rebites. As medidas são de 4” na frente e 7” atrás e montam pneus Avon Storm de 120/70-17 à frente e 190/55-17 atrás para compensar precisamente o binário do motor sobre alimentado.

A nível da travagem temos na frente uma pinças desenhadas pela Hesketh e fabricadas pela Pretech de 6 êmbolos e discos de 320mm de diâmetro. A pinça traseira é uma Beringer com disco de 250mm. O peso a seco ronda os 239Kg e o depósito de gasolina leva 17 litros .

O banco da Hesketh Valiant é uma baquet monolugar e o guiador é um Rizoma de uma peça que monta punhos Dominó e piscas da marca Motogadget. O manómetro de velocidade está limitado aos 240Kmh realidade que nos parece algo limitada dada as características da Valiant que de acordo com o fabricante poderá alcançar os 320Kmh… um verdadeiro dragster.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.