Honda e General Motors parceiras no hidrogénio

Os dois grupos automóveis vão implementar em conjunto um processo mais simples na produção de células de combustível para veículos de emissões 0.

Consideradas como a principal alternativa aos veículos elétricos no que se refere a motorizações sem emissões poluentes, os FCV (Fuel Cell Vehicles) movidos a células de combustível de hidrogénio têm vindo a chamar a atenção de vários fabricantes, especialmente os asiáticos Hyundai, Toyota e Honda. Esta última marca, que já comercializa o Clarity Fuel Cell (na foto do artigo), anunciou agora uma parceria com a GM para o fabrico conjunto, em larga escala, destas células de combustível. O objetivo é ter o projeto implementado em 2020, e para tal serão utilizadas as instalações da General Motors em Brownstown, Detroit, que vão receber um investimento de 79,5 milhões de euros e contratar 100 novos funcionários.

Esta nova célula tem praticamente as mesmas dimensões da que está atualmente implementada no Honda Clarity Fuel Cell, mas necessita de menos materiais (entre os quais os metais preciosos) e têm um fabrico mais simples. Também a maior automatização do processo é considerada outra vantagem para a produção em larga escala, sendo que a facilidade e simplicidade de fabrico são consideradas fulcrais para a redução de custos pretendida. Mesmo com uma produção mais simples, tanto nos Estados Unidos (onde está instalada a fábrica) como na Europa continua a existir um grande entrave à afirmação dos FCV, que passa pela escassez de postos para o abastecimento de hidrogénio necessários para estas viaturas.

Nuno Fatela/Turbo