A Base Aérea do Sobreiro, Albergaria-Velha

Uma digitalização de uma foto através do Dr. Mário Jorge Lemos Pinto leva-nos a uma viagem no tempo através do testemunho do Engº Duarte Machado.

Em 1941 ( provavelmente ) devido às imagens dos aviões da II Guerra Mundial os irmãos Humberto e Emídio Gonçalves com graves problemas de audição e fala mas grandes marceneiros do Sobreiro resolveram fazer um avião. Assim o que vemos na imagem foi executado em madeira, com asas em lona e um sistema de locomoção, pedais, rodas, volante, etc.

Um dia resolveram experimentá-lo e escolheram o declive a partir da casa do Dr. Quina em direcção a Aveiro. A experiência só durou até onde hoje se encontram as bombas de gasolina à entrada do acesso à Turol.

Provavelmente o avião virou ou capotou. Nessa altura passaram dois militares que iam para o quartel de Aveiro. Na época era a estrada internacional Aveiro – Vilar Formoso. Os militares interpelaram os dois irmãos que só puderam responder com sons ininteligíveis pois eram mudos. Perante este facto, os militares dirigiram-se para o quartel de Aveiro, onde comunicaram aos seus superiores: ” Dois alemães aterraram com um avião no Sobreiro! “.