Michael Fröhlich, um alemão aposentado, vive actualmente uma vida bastante tranquila em Dusseldorf, na Alemanha, numa casa cercada por um enorme cemitério cheio de automóveis antigos.

Numa entrevista ao jornal britânico “The Sun”, Fröhlich explicou: “A história deste parque é a história da minha vida. Há 50 pedaços da minha vida, 50 pedaços de cada ano meu. Queria demonstrar que a natureza é mais poderosa do que o cérebro humano, ou do que a engenharia humana. É uma questão de gosto e de liberdade, e o que é que podemos fazer?- o que nos apetece fazer. Quando comecei com tudo isto, os carros não eram novos e pareciam um pouco feios- eram automóveis usados- e agora podemos ver a natureza. A natureza é que manda.”

Esta galeria é um olhar estranhamente bonito pela colecção de Michael.
 

Fotos: Petra Sagnak