MotoGP: Maverick Viñales invencível com a Yamaha

Viñales ascendeu ao comando ainda na fase inicial da corrida, depois de beneficiar da queda e consequente abandono de Marc Márquez, que partindo da pole position estava isolado na frente da corrida e quem sabe a caminhar a para a sua primeira vitória da temporada. A partir desse momento, Maverick Viñales, que já vinha a distanciar-se dos perseguidores, alargou ainda mais essa vantagem e controlou o rumo dos acontecimentos até ao final da prova. Com este resultado, o piloto espanhol alargou a sua vantagem no comando do campeonato.

Com as coisas mornas na luta pela vitória a emoção residiu na disputa pelo segundo lugar, que teve em Valentino Rossi e Cal Crutchlow os seus protagonistas. No seu 350º Grande Prémio no Mundial, o piloto italiano levou a melhor ao ultrapassar o britânico a sete voltas do fim na Curva 5 e ofereceu uma saborosa dobradinha à Yamaha numa corrida onde as rivais Honda, Ducati, Suzuki, ficaram em branco. Mais uma vez Valentino Rossi salvou um fim de semana difícil com uma corrida grande nível, onde fez valer toda a sua experiência. Com uma corrida muito consistente, Cal Crutchlow completou o pódio e foi o melhor piloto privado em prova, resultado que faz esquecer a abandono em Losail.

Álvaro Bautista completou um fim de semana muito positivo com um quarto lugar na corrida. O piloto da satélite Aspar Team foi mesmo o melhor homem aos comandos de uma Ducati não obstante ser uma Desmosedici GP16. Johann Zarco fechou o top cinco e foi o melhor estreante em pista. O piloto francês realizou uma boa recuperação pois partiu de 14º. Seguiram-se Jonas Folger e Danilo Petrucci. Quanto a Karel Abraham que ontem foi segundo na qualificação, hoje desceu à terra e quedou-se pelo 10º lugar. Esta corrida ficou ainda marcada pelo facto da KTM ter somado os seus primeiros pontos na classe rainha ao terminar com Pol Espargaró e Bradley Smith na 14ª e 15ª posições, respetivamente. Mais uma etapa que cumprida neste longo caminho que a marca de Mattighofen tem ainda a percorrer.

Já Jorge Lorenzo continua com um início de época para esquecer, pois abandonou a corrida logo nos seus momentos iniciais depois de não ter evitado uma queda. O mesmo fim teve o seu colega de equipa, Andrea Dovizioso, que pelo segundo ano consecutivo em Termas de Río Hondo foi atingido durante a corrida, desta feita por Aleix Espargaró, que também abandonou nesse incidente. Dani Pedrosa também ficou em branco, pois caiu quando lutava pelo quarto lugar e curiosamente esse incidente deu-se na Curva 2 a mesma que ‘vitimou’ o colega Marc Márquez. A  Suzuki, que viu Álex Rins abandonar por queda e Andrea Iannone ser apenas 16º numa corrida onde foi alvo de um ‘drive-through’ que comprometeu o seu resultado final.

Por último de referir que a tendência dos pilotos privados sobressaírem durante o fim de semana manteve-se durante a corrida, pois dos 15 primeiros 11 pilotos pertencem a equipas não oficiais.

A próxima ronda do Mundial será o Grande Prémio das Américas, que terá lugar no circuito de Austin entre os dias 21 e 23 de abril.