Dakar: Os candidatos à vitória

0101Depois de divulgado o traçado da edição 2017 do Dakar e conhecida a lista de inscritos para a grande maratona sul americana, começam agora as ‘apostas’ sobre os mais sérios candidatos à vitória na prova.

E a verdade é que não faltam candidatos para acabar com o domínio da KTM no Dakar. A equipa da Honda está preparada para liderar o ‘motim’ e colocar uma das suas estrelas. Joan Barreda, Paulo Gonçalves a suceder a Toby Price no lugar mais alto do pódio do Dakar.

Contudo é a KTM que tem sido nos últimos anos a grande dominadora da prova e a vitória de Toby Price na edição de 2016, voltou a mostrar que a marca de Mattighofen prepara-se para a grande aventura como poucos e conhece o segredo das vitórias, já que soma 15 títulos consecutivos

laia-sanz-antoine-meo-matthias-walkner-toby-price-sam-sunderland-ktm-450-rally-2016

Desta forma ninguém tem duvidas que Price volta a ser o principal candidato à fazer de novo a festa em Buenos Aires. Mas na KTM há ainda que contar com Matthias Walkner um piloto rápido que já mostrou que tem de contar com ele para a luta pelos lugares do pódio. Infelizmente na última edição o piloto austríaco não foi feliz ao sofrer uma queda que o deixou fora de prova. Para além de Walkner, Sam Sunderland que depois de ter ficado de fora da edição 2016 está este ano de regresso ao Dakar.

A KTM conta ainda  Laia Sanz que volta a fazer parte da KTM Factory Racing Team em 2017.

Nos últimos quatro anos a Honda fixou como objetivo acabar com o reinado do fabricante austríaco e por isso a forte armada da marca nipónica, liderada por Joan Barreda promete ser a principal rival de Toby Price.

O piloto espanhol está mais do que nunca motivado para alcançar a sua primeira vitória no rally mais duro do mundo e volta a ser desta forma a principal figura da Monster Energy Honda Rally Team.

honda-dakar-2017

Os escudeiros de Barreda para o levarem à vitória no Dakar são duas referências de peso na prova sul americana, o português Paulo Gonçalves e o argentino Kevin Benavides que na última edição do Dakar foi uma das surpresas ao conseguir o quarto lugar e já este ano bateu a concorrência no Merzouga Rally e no Desafío Ruta 40. Contudo Benavides lesionou-se num treino no Chile e vai ficar de fora da prova o que é uma baixa de peso para a Honda

Para além de Joan Barreda e Paulo Gonçalves a Honda conta ainda com o norte americano Ricky Brabec que foi o nono na estreia em 2016 e com o ‘aguadeiro’ Michael Metge.

A Husqvarna, agora com Rúben Faria como diretor de equipa, vai jogar todas as suas fichas no chileno Pablo Quintanilla. O atual campeão do Mundo de Cross Country e Ralis é um piloto rápido e que promete voltar a estar na luta pelos lugares cimeiros da classificação, depois do terceiro lugar alcançado na edição anterior da prova.

27373_pablo-quintanilla_-pela-renet_-ruben-faria-_-mechanics-husqvarna-fr-450-2016

Para ajudar Quintanilla na corrida pela vitória no Dakar, a equipa Rúben Faria aposta no antigo campeão do Mundo de Enduro, Pela Renet, que se estreou o ano passado na prova, mas que uma queda acabou por o obrigar a abandonar precocemente.

Quanto à Yamaha, chega ao Dakar com uma moto nova, a WR450F Rally, e por isso teremos de ver na primeira semana como vai responder, contudo o nível da equipa volta a ser bastante elevado já que à experiência de Hélder Rodrigues junta-se o talento de Adrien Van Beveren, que vão contar ainda com o apoio de Alessandro Botturi e Rodney Faggotter e dessa forma a Yamaha promete estar na luta pelos lugares da frente nesta edição do Dakar que segundo a organização promete ser a mais dura dos últimos anos.

helder rodrigues

Os dados estão lançados e a partir de dia 2 de janeiro logo vamos saber quem está em melhor condições para se opor ao domínio da KTM.

Virgilio Machado/Motosport