Eddie Lawson: Brilho contínuo

Steady’ Eddie Lawson foi tetracampeão na era dourada das 500cc. O californiano bateu uma concorrência de peso e ganhou um lugar na História.

 

Além dos quatro títulos mundiais, Eddie Lawson ficou conhecido por várias outras coisas: ter sido um dos pilotos mais consistentes do Mundial de 500cc, ganhando a alcunha de ‘Steady’ (estável, regular); ter sido o primeiro piloto a sagrar-se campeão com duas marcas diferentes em anos consecutivos, algo só igualado por Valentino Rossi em 2004; ter sido um dos melhores pilotos de desenvolvimento dos anos 80 e 90, quando as 500cc a dois tempos eram simplesmente brutais; e por uma personalidade que o fazia rejeitar a atenção mediática e o auto-endeusamento. Este factor talvez tenha levado muitos adeptos a esquecerem que Lawson foi, simplesmente, um dos melhores pilotos de sempre.

Eddie Lawson I

A concorrência que o americano enfrentou ao longo da sua carreira não tem paralelo com nenhum outro membro deste top. Entre 1983 e 1992 – nos nove anos em que competiu no Mundial -, Lawson bateu, entre outros, Sheene, Lucchinelli, Spencer, Gardner, Rainey, Schwantz, Doohan, Mamola, Sarron e Haslam… Perca só alguns segundos e volte a ler a frase anterior. É a realeza das 500cc: são 15 títulos mundiais!

Método e talento

Lawson também teve coragem de fazer algumas apostas arriscadas na sua carreira. No final de 1988, divergências salariais com Giacomo Agostini, team manager da Yamaha, levaram-no a deixar a marca que lhe deu três títulos e assinar pela Honda. Lawson nem sequer faria parte da equipa oficial, entregue a Gardner e Doohan – em vez disso, trabalharia com o lendário preparador Erv Kanemoto, que anos antes tinha acompanhado Freddie Spencer. Lawson e Kanemoto precisaram de quatro GP’s para transformar uma das motos mais difíceis (e potentes) do Mundial – a NSR500 – numa máquina demolidora. Foi campeão à frente do velho amigo Rainey, seu antigo companheiro nas Superbikes americanas. Era o famoso título consecutivo com motos diferentes. Mas a derradeira lição de classe estava reservada para 1991, quando aceitou pilotar e desenvolver a débil Cagiva. Na época seguinte, Lawson deu a primeira vitória à marca italiana nas 500cc, à chuva, na Hungria.

pic_photos_eddie_lawson_03

Quando perguntámos a Simon Buckmaster, manager da Parkalgar Honda e piloto do Mundial na década de 80, quem foi o melhor entre os melhores nessa fabulosa época, a resposta surgiu rápida: Eddie Lawson.

A Corrida Preferida

Quando teve de escolher a sua corrida preferida, Lawson apontou a vitória em Laguna Seca, em 1988. O Mundial regressava aos Estados Unidos após 23 anos de ausência e todos os pilotos locais queriam ganhar. Os jovens Schwantz e Rainey e o campeão em título, Gardner, nada puderam fazer perante o mestre Lawson, que colocou o público americano a gritar pelo seu nome.

Por Virgílio Machado/Motosport

Eddie Lawson e Kevin Schwantz

Dados sobre Eddie Lawson

GP’s: 127

Pódios: 78

Vitórias: 31

Títulos mundiais: 4 (500cc, 1984, 86, 88, 89)

Bicampeão AMA 250cc (1980 e 81)

Bicampeão AMA Superbikes (1981 e 82)

Equipas: Yamaha, Honda e Cagiva

Correu na Indy Cars até se retirar aos 38 anos