Yamaha SCR950: The Urban Scrambler

A Yamaha tem vindo a explorar com enorme sucesso o segmento de mercado das Sport Heritage com modelos que têm conquistado o reconhecimento neste sector específico neo-clássico muito em voga nos dias de hoje.

É o caso da sua Scrambler SCR950 que tivemos a oportunidade de testar. Temos visto diversas iniciativas que têm apoiado a dinâmica da gama Yamaha no segmento Sport Vintage, como é o caso da “Faster & Sons” e do programa “Yard Built” , com a aposta tendo por base modelos que já de si têm tido um enorme sucesso comercial, a gama MT, que numa configuração ajustada ao conceito Café Racer têm conseguido enorme aceitação e um crescente universo de seguidores. A última expressão deste fenómeno Café Racer é a XSR 900 Abarth que brevemente iremos abordar.

O conceito Scrambler, nascido nas competições de deserto norte americanas, nos primórdios das motos de toto o terreno, que tinham por base a transformação de motos de estrada, as inglesas mais leves da Triumph e BSA em deterioro das pesadas americanas Harley e Indian, às quais se motavam suspensões com maior curso e guiadores mais altos, retirando tudo o que fosse supérfluo no sentido de aligeirar o peso da moto. Nasceram assim as primeiras Scramblers, no tempo em que o Steve McQueen participava nessas competições e lançou a moda, muito antes de aparecerem as primeiras motos específicas para Off Road ou Motocross.

Seguindo essa tendência e o crescimento de mercado com soluções apresentadas por outras marcas, a Yamaha decidiu com base no seu modelo custom cruiser XV950 aplicar os mesmos conceitos de outrora e desenvolver a sua Scrambler obviamente de cariz mais urbano que todo o terreno.

Com um motor de dois cilindros em V a 60º, com 942cc, injecção electrónica e 4 válvulas por cilindro, refrigeração a ar, e escape 2 em 1 , especialmente desenhado para oferecer maior torque a baixa rotação e preparado para oferecer uma potência progressiva seja para circular em ambiente urbano seja em alguns trajectos off road ligeiros. A transmissão final é feita por correia dentada.

A Yamaha teve o cuidado de conceber uma geometria desportiva do quadro para garantir um desempenho ótimo e equilibrado seja na estrada seja fora dela. As suspensões dianteiras com foles e baínhas de 41mm oferecem um amortecimento justo e uma segurança adequada dentro dos limites que a configuração e objectivo da condução da moto pressupõem. Na traseira dois amortecedores tipo gás com ajuste em pré-carga garantem o conforto necessário considerando a tipologia da Scrambler da Yamaha de cariz mais urbano.

A nível da travagem a Yamaha SCR950 monta um disco flutuante de 298mm com pinças de duplo embolo na frente e atrás. As rodas raiadas são de 19” na frente e 17” atrás e montam pneus dual-sport.

A posição de condução é direita e neutra, muito ao estilo off road, com um amplo guiador com barra transversal e o banco alongado e recto, a facilitar o deslizar e o procurar do melhor posicionamento em cima do mesmo em pilotagem off road.

O look Scrambler é completado ainda pelas tampas laterais ovais, muito ao estilo vintage das motos de todo terreno e por um guarda lamas traseiro alto onde montam um farol e piscas de look neo-clássico bem conseguido.

O escape ligeiramente elevado para evitar toques desnecessários em pedras ou saliências no terreno dão um toque final ao look da SCR950. Os acabamentos conferem-lhe também um look vintage equilibrado mas a caixa lateral do filto do ar está algo saliente e tem implicação ao nível do nosso posicionamento na moto, a obrigar a colocar o joelho direito mais para fora do que o esquerdo, ou a forçar o joelho esquerdo para fora para se situar na mesma posição que o direito.

A condução é divertida, mais semelhante a uma cruiser de guiador largo que a uma Scrambler e o bicilíndrico tem potência sempre disponível em qualquer situação, contribuindo para a suavidade de pilotagem. A SCR curva muito bem, é ágil também graças ao seu guiador largo que facilita a condução e mudanças de direcção, colocando-se com estabilidade em curva fazendo com que facilimente cheguemos ao limite assinalado com o roçar das peseiras no asfalto.

A impressão final é de que a Scrambler da Yamaha vem talvez cobrir um segmento de mercado de quem pretende uma moto simples, com estilo clássico, com performances dentro do conceito da mesma e que não pretende ser uma moto desportiva, para competir com outras Scramblers do mercado, exemplo da Ducati ou da Triumph, mas sim para ser levada na desportiva.

PVP e Cores disponíveis: PVP : 9.995€ (Yamaha Black/Racing Red)

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.