O percurso e o programa do Dakar

O traçado do Dakar 2017 promete ser um dos mais duros dos últimos anos. A prova que terá o seu inicio a 2 de janeiro em Assunção no Paraguai vai terminar apenas a dia 14 em Buenos Aires, na Argentina. Pelo meio pilotos e máquinas vão ter um dia de descanso em La Paz na Bolívia

Os 491 competidores e 391 veículos inscritos na edição deste ano tem pela frente a travessia de três países (Paraguai, Bolívia e Argentina) e vão percorrer cerca de 9.000 quilómetros, dos quais 4.000 vão ser ao cronometro. Este Dakar contudo tem a particularidade de ter metade das etapas acima dos 3.000 metros de altitude, e em algumas especiais vão ter mesmo de superar os 4.000 metros. A jornada de descanso será em altura já que a pausa vai ser gozada em  La Paz, a capital mais alta do mundo com 3.600 metros de altitude.

Outras das características do traçado deste ano é a etapa estrela, a denominada ‘Super Belén’, que vai contar com quase 1000 km entre ligações e especial cronometrada que terá lugar a 11 de janeiro, ou seja a três dias do final do Dakar. Para além disso 98% desta etapa vai ser realizada fora pista o que vai colocar à prova as capacidades de navegação dos pilotos.

Traçado:

Segunda feira 2 de janeiro Etapa 1 (Assunção -Resistencia)

Especial cronometrada 39 km – Total da etapa 454 km

Esta não vai ser uma especial de grandes preocupações para os pilotos, apesar da preocupação dos primeiros dias em não sofrer uma queda que pode vir a comprometer a prova. Contudo a posição de chegada à meta em Resistência  é de grande importância já que vai definir a posição de largada no dia seguinte.

Terça feira 3 de janeiro. Etapa 2 (Resistencia-San Miguel de Tucumán)

Especial cronometrada 275 km – Total da etapa 803 km

Aqueles que dizem conhecer a Argentina, nunca rodaram em  ‘Chaco’. Esta é uma região carregada de história para os conhecedores dos Ralis. O Transchaco é uma das provas mais duras e é aqui que se realiza. Paciência e a sangue frio vão ser necessários para ultrapassar o muito pó desta região, a não ser que a chuva o transforme num mar de lama.

Quarta feira 4 de janeiro. Etapa 3 (S. Miguel de Tucumán-S. Salvador de Jujuy)

Especial cronometrada 364 km – Total da etapa 780 km

Este será o primeiro dia em que a agulha do altímetro vai começar a mexer e a paisagem vai mudar. Chegam os primeiros troços fora pista naquele que será o primeiro teste real à resistência, lucidez e atenção dos pilotos, já que a travessia dos primeiros cursos de água vão ter lugar nesta terceira etapa.

Quinta feira 5 de janeiro. Etapa 4 (S. Salvador de Jujuy-Tupiza)

Especial cronometrada 416 km – Total da etapa 521 km

Dunas em altitude é o que espera os pilotos. A cerca de 3.500 metros, o Dakar vai entrar na altitude cruzeiro a que vão ter de navegar os pilotos durante seis dias. A esta altitude são poucos os que viram dunas que exigem uma técnica especial para ser ultrapassadas.

Sexta feira 6 de janeiro. Etapa 5 (Tupiza-Oruro)

Especial cronometrada 447 km – Total da etapa 692 km

Chega o Planalto Boliviano que vai obrigar a muito trabalho. É que à medida que os pilotos forem aclimatando os seus organismos vão começar a ver a fadiga aumentar. Por isso esta será sem dúvida uma das etapas mais exigentes onde as dunas no final da etapa vão complicar o grau de exigência da especial.

Sábado 7 de janeiro. Etapa 6 (Oruro-La Paz)

Especial cronometrada 527 km – Total da etapa 786 km

Esta é uma especial longa que tem o bónus de levar os pilotos a passarem junto ao lago Titicaca. As dunas vão aparecer no inicio de uma extensa jornada que terminara de dia para os da frente mas que vai obrigar às indispensáveis luzes por parte dos mais atrasados que vão chegar de noite ao Bivouac. Chegar ao dia de descanso na capital boliviana pode ser considerado com um êxito para os participantes neste Dakar.

Segunda feira 9 de janeiro. Etapa 7 (La Paz-Uyuni)

Especial cronometrada 322 km – Total da etapa622 km

Esta será a primeira parte de uma etapa maratona por um traçado que os pilotos já conhecem. Uyuni vai voltar a acolher o ‘bivouac’ por um dia após uma etapa marcada por um elevado número de quilómetros de pistas arenosas.

Terça feira 10 de janeiro. Etapa 8 (Uyuni-Salta)

Especial cronometrada 492 km – Total da etapa 892 km

O Dakar deixa o planalto para uma especial fora de pista na sua primeira etapa numa etapa por onde o Dakar nunca passou apesar de já ter assentado arraiais em Salta.

Quarta feira 11 de janeiro. Etapa 9 (Salta-Chilecito)

Especial cronometrada 406 km – Total da etapa977 km

É a ‘Súper Belén’ com quase 1.000 quilometros para realizar num dia, dos quais menos de metade em especial marcada por ser em 98% fora de pista. É uma etapa bastante exigente para a navegação, que pode ser decisiva na luta pela vitória nesta edição de 2017 do Dakar.

Quinta feira 12 de janeiro. Etapa 10 (Chilecito-San Juan)

Especial cronometrada 449 km – Total da etapa 751 km

É a etapa quebra braços e pernas com uma passagem extensa por um traçado de trial que vai marcar o principio desta ante-penúltima jornada do Dakar. A compensação vai chegar já perto do final com um piso mais rolante, mas onde a atenção à navegação vai ser determinante para não haver erros que no Dakar se pagam com minutos.

Sexta feira 13 de janeiro. Etapa 11 (San Juan-Río Cuarto)

Especial cronometrada 292 km – Total da etapa 759 km

É o dia das despedidas das dunas com os pilotos a terem de ultrapassar as areias de San Juan que vão aparecer nos primeiros 50 quilómetros da especial. Os adeptos de uma condução de WRC vão estar em casa nestas pistas da região de Córdoba e apenas vão ter de evitar alguma surpresa mais desagradável.

Sábado 14 de janeiro. Etapa 12  (Río Cuarto-Buenos Aires)

Especial cronometrada 64 km – Total da etapa 786 km

Este será o dia dos heróis que mais não são que todos aqueles que cheguem ao fim desta maratona de grande dureza. Os últimos 64 quilómetros de especial não tem segredos nem armadilhas é para desfrutar de uma chegada a Buenos Aires onde os heróis vão ter à espera a festa.

Virgílio Machado/Motosport