Rolls-Royce revela o modelo mais caro da história

Ser dono de um Rolls-Royce é fazer parte de um clube já por si exclusivo. Mas o exclusivo Sweptail, comissionado por um cliente da marca, é o carro novo mais valioso de sempre ao estar avaliado em 13 milhões de euros.

A história chega-nos de Itália, onde o Sweptail foi apresentado, mas tudo começou há quatro anos quando um cliente Rolls-Royce de longa data encomendou um carro especial. Não queria menos do que um modelo ímpar e irrepetível. Por isso, e em vez de ir a qualquer outro lado, abordou a marca britânica. E assim nasceu o Sweptail agora desvendado, que ganha imediatamente fama como o carro novo mais caro de sempre ao estar avaliado em 13 milhões de euros. O desejo era simples: o carro tinha de ser inspirado em modelos dos anos 20, particularmente nos que acolhem influência no mundo náutico. Escusado será dizer que o resultado final “não meteu água” e é a definição pura de luxo e opulência – um enorme coupé de dois lugares desenhado para atravessar continentes em total conforto.

div” data-cycle-speed=”1000″ data-cycle-swipe=”false” data-cycle-tile-count=”7″ data-cycle-tile-delay=”100″ data-cycle-tile-vertical=”true” data-cycle-timeout=”10000″>

No que diz respeito ao design, a atenção recai imediatamente sobre a secção traseira que remete imediatamente para as formas dos barcos, refletindo a sua inspiração. Pouco tem de clássica! O dono, que ajudou a desenvolver o carro durante quatro anos, é um grande coleccionador de iates, portanto um dos objectivos foi captar essa essência. O tejadilho e a parte lateral em arco encontram-se na traseira, culminando numa cauda lisa e longa.

À frente, é um puro Rolls-Royce moderno com a icónica grelha (polida à mão) em destaque. Este contraste entre dianteira e traseira dá um look glorioso ao carro como em nenhum outro Rolls. O tecto panorâmico ilumina um interior minimalista em que os materiais são tão premium quanto seria de esperar. A acompanhar a madeira escura de ébano (dark ebony wood) e couro (dark spice leather) surge a madeira de paldao (paldao wood) e couro ‘moccasin’ (moccasin leather). O minimalismo no interior é levado a um extremo na consola, onde todos os controlos se camuflam excepto um único botão físico – tudo o resto está “escondido” para que os materiais brilhem.

Atrás dos bancos gigantescos fica uma ampla extensão de madeira, ideal para armazenar todo o tipo de coisas. Mas na parte de cima está algo que nunca tínhamos visto entre os Rolls-Royce – um compartimento para… chapéus. Além disso, o suporte central para o braço não tem entrada USB como outros modelos, sendo, em vez disso, um chiller onde encaixa uma garrafa de champanhe, naturalmente do ano de nascimento do proprietário.

Muito provavelmente não veremos o Sweptail passar na rua nos próximos tempos, mas não podemos negar que esta máquina assenta na plataforma do Phantom, com motor V12 de 6.6 litros que debita 459 cv, vem cimentar a posição da Rolls Royce como um dos pináculos do mercado dos carros de luxo. E com este modelo privado a custar quase 13 milhões de euros, – e a continuar com as encomendas “à medida” – a construtora inglesa nem precisará de muitas encomendas para preservar esta posição.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.