A marca criou um fato para mostrar os riscos de conduzir após uma noite de festa, à imagem dos dispositivos revelados anteriormente que colocam em evidência o perigo de conduzir com taxas de alcoolemia acima do permitido e sob o efeito de substâncias psicotrópicas.

A Ford revelou aquilo que se pode designar como o “fato da ressaca”, uma criação que pretende demonstrar como os efeitos do álcool sobre os condutores no dia seguinte podem ser tão graves como os experienciados ao conduzir com taxas de alcoolemia acima do permitido por lei. Embora não exista qualquer proibição para conduzir com a denominada “ressaca”, a Ford refere que as suas consequências podem ser também bastante debilitantes, utilizando para tal este dispositivo que simula a sensação da cabeça a palpitar e formas de reproduzir cansaço e outras consequências negativas de uma noite de festa “bem regada”.

Este fato da ressaca pesa 17kg e conta com um casaco especial, pesos nas articulações, óculos e um capacete especiais e também auscultadores, dificultando não apenas o movimento mas também a audição e visão e demonstrando outras das sensações habituais ao conduzir nestas situações. Este novo dispositivo faz parte do projeto de segurança rodoviária da Ford e é o terceiro a ser fabricado e utilizado para demonstrar o perigo de conduzir em condições especiais. Além do fato da ressaca, a marca americana também já apresentou criações similares para demonstrar o perigo de conduzir com taxas de alcoolemia acima do permitido e sob a influência de substâncias psicotrópicas, como demonstrado pelos vídeos na galeria acima.

Nuno Fatela/Turbo