Porsche ajuda refugiados

A marca está a oferecer formação que torna os refugiados aptos a integrarem o mercado de trabalho.

A Porsche anunciou o lançamento do seu segundo programa de integração, destinado a 15 mulheres e homens do Afeganistão, Síria, Eritreia e Iraque, garantindo-lhes formação até ao final de agosto. O objetivo passa por reforçar as competências destas pessoas, valorizando o seu currículo e dando-lhes novos trunfos para atacar o mercado de trabalho, com a marca a destacar que além de formação na sua especialidade também está a garantir o ensino em outras áreas onde existe falta de staff qualificado e ainda a ajudar à integração em empresas de menor dimensão que não têm possibilidade de lançar programas próprios deste tipo. Para facilitar a posterior transição para o mundo do trabalho, a Porsche também colabora com a Agência de Emprego do Governo Federal da Alemanha, que aconselha os refugiados acerca da futura carreira. Foi ainda recordado que após o primeiro programa de integração, onze dos trinta instruendos acabaram por ser contratados pela própria Porsche.

Este curso tem a duração de oito meses e é composto por três blocos de ensino. A primeira fase, com duração de um mês, consiste num curso intensivo de alemão, focado em terminologia técnica, a que se seguem quatro semanas onde são abordadas, no Porsche Training Centre, as competências básicas e as normas de segurança a cumprir. Os últimos meses são passados a aprender nos departamentos técnicos marca, aliados a estágios na própria Porsche e em outras empresas interessadas nas qualificações obtidas por estes refugiados.