Um Pagani Zonda muito especial

Apresentando em 1999 no Salão Automóvel de Genebra, o Zonda acabaria por se tornar no mais emblemático dos Pagani, mesmo que um certo Huayra também faça as delícias dos fãs da marca transalpina.

Retirado em 2013 com a versão ‘Revolucion’, exclusivamente destinada aos circuitos de competição, a demanda dos clientes continuou a ser tão grande que Horacio Pagani não teve outra alternativa a não ser protelar o modelo através do lançamento de edições especiais exclusivas e muito dispendiosas.

div” data-cycle-speed=”1000″ data-cycle-swipe=”false” data-cycle-tile-count=”7″ data-cycle-tile-delay=”100″ data-cycle-tile-vertical=”true” data-cycle-timeout=”1000″>

Esta ‘HP Barchetta’ é um pouco diferente, uma vez que foi o próprio fundador a encomendá-la. A maior diferença a respeito do Zonda tradicional vê-se no para-brisas minúsculo e na cobertura parcial das rodas traseiras, à semelhança do que acontece com o Pagani Zozo. Junte-se-lhe o revestimento ‘tartan’ do habitáculo, uma caixa manual de seis velocidades e os assentos inspirados no Huayra BC e o resultado é um dos Zonda mais espetaculares que alguma vez saíram das linhas de montagem da fábrica da casa italiana, sediada em Modena.

Leia também: Compilação de sons da Pagani é melhor que uma orquestra

É também ao Huayra BC que este Zonda HP Barchetta vai buscar as jantes de 20 e 21 polegadas, assentes em pneus Pirelli P Zero Corsa.

Vários detalhes aerodinâmicos, onde não falta uma gigante saída de ar por cima da cobertura do motor, completam o dramatismo da carroçaria, que se mantém atual apesar dos quase 20 anos que carrega, e cujo preço apontado é de impressionantes 15 milhões de dólares. Não, é por isso, de estranhar que tenha sido um dos desportivos mais requisitados no último Concurso de Elegância de Pebble Beach.

 

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.