Carros de papel vão ser mais fortes que carros de metal

A substituição dos motores de combustão por motores elétricos vai trazer novas exigências em termos de eficiência. Como as baterias são maiores e mais pesadas que os motores antigos, vai ser preciso cortar no peso noutras áreas para melhorar o consumo de energia. E é no Japão que poderá surgir a solução, já que os fornecedores da indústria automóvel japonesa estão a trabalhar que um elemento extraído da pasta de papel poderá dar origem a carros mais leves e mais seguros.

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Kyoto está a trabalhar com empresas como a Denso ou a Daikyo-Nishikawa, que fornecem marcas como a Toyota, para criar plásticos fortalecidos com fibras microscópicas de celulose. Cada uma destas nanofibras terá uma dimensão 1000 vezes mais pequena que um milímetro, e embora este material já seja usado em produtos industriais, ainda não tinha sido aplicado à indústria automóvel.

Através da pesquisa feita na universidade japonesa, já é possível decompor as fibras de celulose em nanofibras, que são integradas na estrutura dos plásticos, num processo industrial que é 80 por cento mais barato do que era necessário para obter o mesmo resultado. Desta forma, uma carroçaria de um carro será cinco vezes mais leve mas também cinco vezes mais resistente. Os resultados práticos desta tecnologia vão ser testado em 2020, quando os fornecedores da indústria automóvel planeiam mostrar um protótipo feito com este material.