Há 200 anos, as primeiras bicicletas tinham uma característica que para nós parece invulgar. Ou melhor, a falta de uma característica. Mais especificamente, estas bicicletas não tinham pedais. Para andarem de bicicleta, os seus condutores tinham que andar com os pés no chão. Mas um grupo de engenheiros da Universidade de Saarland, na Alemanha, conseguiu aproveitar esta desvantagem para criar uma bicicleta elétrica.

A Draisine 200 é uma réplica fiel da primeira geração de bicicletas, com uma estrutura completamente construída em madeira. Só há duas exceções à reprodução. Agora, tem pneus de borracha, e tem um motor elétrico escondido na estrutura. Este motor aproveita a energia gerada pelo movimento das pernas, mas depois tem potência suficiente para andar até 25 km/h.

Obviamente, esta não é uma forma prática de ter uma bicicleta elétrica. Mas o grupo de investigadores alemães vê utilizações práticas nos protótipos que foram construídos. Em particular, o software usado pode ter aplicações nas bicicletas usadas no futuro próximo, incluindo um sistema de travões sem fios, ou na arrumação de baterias e motores elétricos na estrutura. Os sensores são o principal foco de trabalho, com o sistema elétrico a reconhecer o tipo de terreno e ambiente, para ser mais eficaz na utilização de energia.