Força Aérea Americana põe robôs a pilotar aviões

A Força Aérea Americana tem feito muito para retirar os seus efetivos de situações de perigo, incluindo constantes missões com recurso a drones pilotados remotamente. No entanto, estes não chegam. Por vezes, as missões necessitam de um toque pessoal, o que volta a colocar os pilotos em perigo. Por isso, a Força Aérea quer colocar robôs a voar em missões em teatro de guerra.

Para isso, a RE2 Robotics foi contratada para criar um sistema que possa pilotar um avião no terreno, com a mesma sensibilidade aos movimentos do avião que uma pessoa. O resultado chama-se CARNAC, que em português se traduz como “Modificações a Aeronaves Comuns para Novo Controlo Autónomo”. O robô pode ser instalado aos comandos normais de um cockpit sem quaisquer modificações à aeronave.

Com o CARNAC, a RE2 Robotics espera oferecer à Força Aérea um sistema que seja compatível com a tecnologia já existente, que possa simular a operação normal de um avião por um ser humano, que seja capaz de reconhecer visualmente a posição e estado de um avião, e que possa tomar decisões com base nesses estados e nos parâmetros da sua missão.