Com a evolução constante da inteligência artificial, vai também ficar mais fácil o desafio de fazer robôs com aparência humana, capazes de funcionar sozinhos no meio ambiente. Mas se os robôs precisam de aprender como humanos, então também devem passar pelas fases da vida da humanidade. E é por isso que o Instituto Italiano de Tecnologia criou o iCub, uma criança-robô, idealizada para aprender, um projeto que conta já com 12 anos de existência.

O iCub tem elementos semelhantes aos de uma criança de cinco anos, com uma altura de pouco mais de um metro, e é capaz de gatinhar, sentar-se, levantar e andar. Também consegue manipular objetos, com muito do trabalho de desenvolvimento a incidir na habilidade das mãos. Existe também uma preocupação com a fonte de energia, e na interação entre as câmaras que funcionam como olhos, os sensores das mãos e a rede neural eletrónica.

A universidade italiana trabalha em parceria com muitas outras instituições na evolução do iCub, na Europa, Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul. Para facilitar o acesso a nova tecnologia, o projeto iCub é open source, pelo que qualquer investigador na área da robótica pode copiar, distribuir e divulgar as suas próprias evoluções.

M. Francis Portela