Não deve tardar muito, e em breve estarão no mercado as primeiras aplicações feitas com este material, que é a estrutura metálica mais leve do mundo. No entanto, apesar de ser a mais leve, é também incrivelmente denso e rígido. E isto vai permitir reduzir bastante o peso de certas peças em automóveis, sem prejudicar a integridade do veículo e sem colocar em perigo a vida dos passageiros.

Esta estrutura de padrão reticulado junta vários tubos metálicos de pequenas dimensões, que podem ter apenas 0,1 mm de diâmetro e 0,0001 mm de espessura. Mas o que causa a rigidez é que, com estas dimensões, esta estrutura aprisiona uma massa de ar que é cerca de 75 por cento mais denso que o ar em movimento. A estrutura em si é formada usando luz ultra-violeta para manipular a direção da resina usada como base.

Este material, embora seja chamado “metálico”, não é, portanto, um verdadeiro metal. Mas isso não é relevante quando se fala nas suas possibilidades. O padrão reticulado é 100 vezes mais leve que esferovite, e regressa à sua forma original facilmente depois de estar sob pressão. Como foi financiado pela HRL (uma joint-venture da General Motors e Boeing), vai ter aplicações práticas em automóveis e aviões. Espera-se que seja usado como isolamento ou em peças que estarão sob pressão constante, como amortecedores e reforços das carroçarias. Poderá também ser usados nos elétrodos das baterias.