As inteligências artificiais vêm aí, vão ser mais inteligentes que nós e, se tudo correr bem, vão fazer a nossa vida mais fácil. Se não correr tão bem… pode acontecer algo como isto. Um robô foi criado para reconhecer movimento e caras das pessoas, e para lhes apontar um laser. Mas uma consequência da programação é que parece ter desenvolvido um sentido de humor.

Neste vídeo, Michael Reeves, um estudante universitário de 19 anos mostra como o seu robô funciona. Se o robô fosse humano, apontaria o laser aos olhos de uma pessoa só por piada. Afinal, o robô é capaz de ser mais humano do que o esperado, pois não hesita em apontar o laser a um olho. Mas talvez ele tenha razão para isso… afinal, uma forma de vida artificial merece acomodações mais dignas que uma caixa de pizza usada.

Se gostou deste robô e tem jeito para a programação e para a mecânica, também pode construir um igual. O estudante americano divulgou o código na internet para qualquer pessoa o poder usar. Mas tenha cuidado para onde aponta esse laser…