Viajar a velocidades extremamente elevadas vai ser cada vez mais importante, principalmente se certas pessoas ou bens necessitarem de ser transportados entre continentes em apenas horas. O avião hipersónico é uma proposta para reduzir esses tempos de viagens, atingindo velocidades superiores a Mach 5, ou 6000 km/h, cinco vezes a velocidade do som.

No entanto, até aqui era impossível construir um aparelho destes que pudesse ser usado constantemente, devido ao tipo de materiais necessários para a sua construção. Em particular, certos elementos, incluindo a secção dianteira, qualquer superfície angular, ou peças usadas em combustão, seriam extremamente vulneráveis à fricção do ar e aqueceriam desmesuradamente, ameaçando a integridade do avião.

Mas isto poderá ser resolvido em breve, graças a uma pesquisa conjunta da Universidade de Manchester, na Inglaterra, e da Universidade Centro-Sul na China. A equipa investigadora conseguiu criar um carbeto (um composto cerâmico baseado em carbono), que pode ser usado como cobertura de materiais, permitindo-lhes manter a integridade a temperaturas de 3000 graus. Esta cobertura também vai ser mais barata de produzir, graças ao método de infiltração reativa para fundir os componentes químicos.