Afinal, parece que não é só usar o telemóvel para falar e mandar mensagens que afeta negativamente a condução. Falar com outras pessoas dentro do carro enquanto está ao volante também reduz a atenção. Este é o resultado de um estudo conduzido pela HFES (Sociedade de Fatores Humanos e Ergonomia) e publicado no jornal científico Sage, que reavaliou os dados de pesquisas antigas.

Entre 1991 e 2005, foram conduzidos nos Estados Unidos 93 estudos sobre atenção ao volante, com um total de 4382 participantes. Desde 2005, este número de estudos triplicou, mas os dados originais ainda revelam comportamentos que não tinham sido analisados à luz do que hoje se sabe sobre atenção ao volante, especialmente quando se utilizam aparelhos de comunicação, como um telemóvel.

Esta nova análise confirmou que fazer uma chamada ou enviar uma mensagem de SMS ao volante resulta numa perda de atenção de vários segundos, mas esta perda de atenção também se verifica quando o condutor usa um kit mãos-livres ou Bluetooth, revelando que a falta de atenção acontece independentemente das mãos estarem no volante. E reduzir a velocidade não é suficiente para mitigar esta falta de atenção na estrada.

Talvez de forma surpreendente, o estudo também confirmou que, quando o condutor está a falar com o passageiro, verifica-se o mesmo tipo de falta de atenção, ou seja, o condutor não devia estar preocupado com qualquer forma de comunicação enquanto está aos comandos de um automóvel. Esta situação apenas deverá ser melhorada quando os carros 100 por cento autónomos chegarem à estrada.