Volta ao mundo de moto: De San Diego a Los Angeles

Francisco Sande e Castro
Francisco Sande e Castro
Jornalista e Escritor

Ainda em San Diego acordei perto das nove e, às dez da manhã estava a frequentar uma aula de Yoga, na relva junto á praia, organizada pelo hostel. A miúda esticou-me o corpo todo. Acho que até fiquei mais alto.

Depois peguei na moto e fui até outra praia onde aluguei uma bicicleta para poder percorrer o pontão junto ao mar durante uma hora, até chegar a uma praia onde as focas vêm até à costa e andam a brincar, junto à rochas. Pelo caminho parei num restaurante de um iraniano com quem estive à conversa sobre o Irão. Pouco tempo depois sentou-se uma miúda canadense ao meu lado que, quando soube que eu era português, me contou que os seus avós eram portugueses, de Trás-os-Montes.

– Vieram há quarenta anos para o Canadá mas nunca aprenderam inglês. Mostrou-me a fotografia dos avós e acreditei.

– Não é um típico casal português?

– É.

San Diego é uma cidade espetacular porque nesta zona das praias tem reentrâncias grandes de mar, que formam lagoas onde construíram várias marinas. Na zona de La Jolla fantásticas casas sobre o mar e pequenas praias abertas nas rochas.

Na volta passei, por acaso, pelo concessionário local da Rolls e Bentley. Estacionei a bicicleta à porta e visitei o stand. A vendedora viu-me encostar a bicicleta ao poste, achou que eu tinha ar de milionário extravagante e recebeu-me como se eu fosse encomendar um carro. Tinha nada menos que 14 Bentleys e 8 Rolls Royce novos em stock, de todas as versões e modelos.

Depois de devolver a bicicleta decidi ir visitar uma ilha que me tinham recomendado, Coronado. Apanhei a via rápida que me levava à ponte que atravessa da parte continental da cidade, mas quando lá cheguei estava bloqueada com carros da polícia. Esperei na parte da frente de uma enorme fila, distraído à conversa com outros dois tipos de moto mas passada meia hora decidi ir perguntar o que se passava. Um homem teria parado o carro na ponte e suicidou-se. Mandaram parar tudo e pouco depois a polícia veio dizer que ninguém poderia ficar naquela fila, tendo que mover-se para outro lado à espera de poderem atravessar. Voltei ao hostel, deixando a visita à ilha para o dia seguinte.

Voltei a Coronado antes de partir de volta para Los Angeles. A ilha é gira e bem arranjada, com relva e plantas nos passeios centrais das ruas principais e uma excelente praia. No lado Sul uma enorme base militar onde pelo menos dois porta-aviões estavam estacionados, naquele que é o extremo Sul do país naquela costa.

Regressei a Los Angeles porque tinham ficado de mandar por correio para casa de um amigo que ali vive não só o Carnet (espécie de Passaporte da moto) como o bilhete para um festival de música a que assisti uns dias depois no deserto.

Nos arredores de Los Angeles parei para comer qualquer coisa num bairro que me pareceu como qualquer bairro dos arredores de grandes cidades. Só quando me instalei na Pizzaria mexicana reparei que era um bairro só de mexicanos. Havia um tipo que não saía de volta da minha moto com ar de a querer levar para casa. Olhei à minha volta e tanto os clientes como as pessoas que passavam na rua eram todos mexicanos. Um grupo de miúdas dos seus treze anos, sentadas numa das mesas a dividirem uma pisa, gritavam “vagiiiina” e riam-se muito. Ninguém lhes ligava a não ser três miúdos, sentados na outra ponta do restaurante, a quem elas pareciam querer chamar a atenção. O dono saiu de trás do balcão para me receber com o ar de: “obrigado por se ter dignado entrar na minha espelunca”. Tratou-me lindamente e foi fazer um esparguete carbonara que, surpreendentemente, estava óptimo enquanto o criado me trazia uma salada e pão de alho que anunciou serem oferta da casa. Almocei sem tirar os olhos da rua onde estava a moto e o rapaz que a rodeava e arranquei logo que pude.

_______________________________________________________________________

*Francisco Sande e Castro está a dar a volta ao mundo de moto e M24 publica o seu diário de bordo. Acompanhe-o nesta grande aventura

ler + em Volta ao Mundo em Crosstourer

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.