Ducati Scrambler Desert Sled: Pura diversão por maus caminhos

Nunca as motos customizadas estiveram tanto na moda como agora. Isso percebe-se ao andar na rua, onde se veem cada vez mais motos personalizadas, tanto pelos próprios motociclistas, o que resulta muitas vezes em projetos de gosto duvidoso, como em encomendas a empresas especializadas na transformação. Já temos algumas no nosso país, cujo trabalho é tão bom, que tem sido reconhecido internacionalmente.

E claro, as marcas estão atentas às tendências e a Ducati não é exceção. Nos últimos anos tem lançado modelos que apelam, precisamente, ao desejo de uma clientela que não quer comprar apenas um meio de transporte com duas rodas. Pretendem marcar pela diferença ao escolherem uma moto da mesma forma como escolhem a roupa. Em 2015, ao lançar a Scrambler, uma moto que não parecia ter saído de uma linha de montagem, facilmente nos enganava, dando a sensação de ter sido encomendada a um especialista em transformação.

Já este ano, decide juntar à família este modelo Desert Sled, uma moto inspirada nas café racer scrambler dos anos 60, com a pretensão de proporcionar um sorriso rasgado a quem tiver a sorte de passar horas, dias ou mais tempo com ela. Será que cumpre? Já lá iremos.

Esta Desert Sled não é só um exercício de estilo. Vem com atributos que algumas “big adventure bikes” não têm, como as suspensões com 200mm de curso, por exemplo. No entanto, não é no terreno das grandes motos de aventura que vamos tirar partido desta scrambler. O bicilíndrico em L com 803cc pode só debitar 75cv mas são suficientes para nos levar, sem hesitações, para maus caminhos. É em estradões de terra batida que dá gozo “enrolar o punho”, e sentir a roda traseira entrar em slide, sem medo, pois os pneus Scorpion Rally da Pirelli, com os seus tacos generosos, estão lá para nos dar a dose de confiança extra. Podemos ainda aventurar-nos em alguns pequenos saltos que apareçam no caminho, já que as suspensões o permitem. Para não deixar o entusiasmo causar problemas temos uns competentes travões Brembo com um disco de 330mm na frente e um de 245mm atrás se precisarmos abrandar o ritmo, nem que seja só para recuperar o fôlego.

a carregar vídeo

De volta à folia, rapidamente percebemos que estamos sempre a tentar evitar o alcatrão, o que na cidade é um exercício complicado. Inevitavelmente a vida com a Desert Sled para a maioria dos seus donos será percorrida, sobretudo, em estradas alcatroadas. Não é uma vida má, muito pelo contrário, com todos os seus atributos para “brincar” fora de estrada, revela-se uma moto muito confortável sobretudo na cidade, com tantas ruas e estradas em mau estado. Curva bem, apesar dos pneus com tacos sobredimensionados, e é fácil de guiar por entre os carros, mas em dias quentes, no trânsito sente-se o calor do motor, que é refrigerado a ar.

Com a Desert Sled, a Ducati parece ter acertado em cheio ao criar uma moto despretensiosa e bonita, com uma agilidade inesperada, desprovida de tecnologia supérflua, mas muito divertida, que apela aos sentidos mais básicos de quem gosta simplesmente de andar de moto sem escolher o caminho.

Gostámos: facilidade de condução, fator diversão, estética, protetor de motor de origem, linha de acessórios originais disponível.

Não gostámos: apoio do amortecedor que bate no interior da perna, calor do motor.

Ficha técnica:

Motor: Bicilíndrico desmodrónico em L com 2 válvulas por cilindro, e 803cc
Potência: 75 cv
Caixa de 6 velocidades
Rodas: frente de 19”, trás 17”
Travão frente: Brembo com disco de 330mm e pinça com quatro pistões
Travão traseiro: Brembo com disco de 245mm e pinça de um pistão
Suspensão frente: forquilha Kayaba invertida totalmente ajustável com 200mm de curso
Suspensão traseira: amortecedor Kayaba com afinação de recuperação e compressão com 200mm de curso
Peso: 191 kg

Preço: Vermelho a partir de 11.499 euros Branco a partir de 11.699 euros

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.