Velha senhora de volta à Córsega

A Volta à Córsega Histórica, que arranca hoje em Porto Vecchio e decorre até ao próximo sábado (dia 7 de outubro) é mais um desafio internacional que a Renault 4L de Pinto dos Santos tem pela frente.

A velha senhora, que ostenta o número 127 nas estradas corsas, já habituada a estes palcos, ou não tivesse tido a ousadia de participar em 11 ralis do Mundial entre 1998 e 2000 — Acrópole, RAC, Volta à Córsega; Suécia, Finlândia, Catalunha, San Remo e, naturalmente, Portugal, por três vezes – regressa 18 anos depois à ilha de Napoleão, desta feita para uma prova reservada a clássicos.

Puxada, mas pouco, por 34 cavalitos; cansada por 15 anos de bons e efetivos serviços e 160 mil na conta pessoal – quilómetros, é óbvio – a Renault 4 L da dupla Pinto dos Santos – Nuno Rodrigues da Silva enfrenta as célebres 10 mil curvas do traçado corso.

O programa da 17.ª edição do Tour de Corse Historique inclui cinco etapas e 17 provas de classificação totalizando 341,18 km. O público continua a delirar à passagem da Renault 4L, que nos ralis do Mundial era, regra geral, o último concorrente, apoio que é o motor destas participações. É um fenómeno de popularidade que ultrapassou fronteiras.

Na segunda vida desta 4L já constam participações no Rally Legend (San Marino) e no Eiffel Rally (Alemanha), duas provas de topo para clássicos

Na Córsega, a dupla portuguesa vai encontrar gente famosa do automobilismo mundial: desde o lendário Vic Elford, antigo piloto de F.1, campeão europeu de ralis (Gr.3), vencedor do Rali de Monte Carlo e das 24 Horas de Daytona com uma semana de intervalo, a Gérard Larrousse, Jean-Claude Andruet e Patrick Zanirolli, que conquistou a primeira (1985) de 12 vitórias da Mitsubishi no Dakar.

Por isso, esta 17.ª Volta à Córsega Histórica, muito participada – 215 inscritos divididos pelas categorias VHC (Veículos Históricos de Competição9, que cumprem as regras dos ralis atuais, e VHRS (Veículos Históricos de Regularidade Desportiva — é um verdadeiro reencontro das lendas.