Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal: festa ibérica em Reguengos de Monsaraz

João Ramos (Toyota Hilux) é o líder do Campeonato de Portugal AFN

 

A festa do todo-o-terreno vai animar Reguengos de Monsaraz, no próximo fim-de-semana (dias 25 a 27 de maio), graças à realização de uma das mais carismáticas provas nacionais, que regista 62 inscritos. Um recorde esta época!

A Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal, organizada pela Secção de Motorismo da SAR (Sociedade Artística Reguenguense) é a 3.ª do Campeonato de Portugal AFN e igualmente, pontuável para as taças de Portugal e Ibérica e Desafio Total/Mazda.

Em ano de efeméride – assinalam-se os 30 anos – a prova alentejana conta ainda com um aliciante fator de atração: o arranque do Troféu Terras do Grande Lago Alqueva .

A organização é ibérica e conta, nesta competição, igualmente com o Motor Club Villafranca de los Barrios (Espanha), responsável pelo Rally TT Baja Dehesa de Extremadura (dias 9 e 10 de Junho).

Este troféu oferece prémios num total de 10.000 € (em numerário), a dividir pelos três primeiros classificados das categorias T1 e T2.

Em termos de campeonato de Portugal, João Ramos e Vítor Jesus (Toyota Hilux) defendem a liderança. Com uma vitória e um 5.º lugar, o piloto nortenho encara esta prova «emblemática pela sua tradição no calendário de provas de todo-o-terreno», com muita simpatia:

«Gosto bastante do público que acompanha a prova e aprecia o espetáculo» e em termos competitivos adianta que «esperamos conseguir dilatar a vantagem na liderança. O objetivo é o de sempre, ou seja, arrecadar o máximo de pontos possíveis para o campeonato, lutando pela vitória».

A diferença para os mais diretos perseguidores – Pedro Ferreira e Hélder Oliveira, que dividem, «ex aequo» o 2.º lugar – é de sete pontos.

Hélder Oliveira (Mini Paceman) com expetativas elevadas para a prova alentejana

Para o piloto de Barcelos, que continua a aposta no Mini Paceman da CaTTiva Sport, «o intervalo grande entre a última e esta prova permitiu fazer algumas alterações no carro».

Hélder Oliveira, de novo em dupla com Pedro Pires de Lima, revelou que «fizemos um teste que correu bastante bem e estamos otimistas».

Como a maioria dos pilotos, Hélder Oliveira gosta bastante desta prova e recorda que «no passado fizemos ótimos resultados». Mais entrosado com o carro e com o navegador, sublinha que «este início de época tem sido muito positivo. A Cattiva Sport tem feito um excelente trabalho e não podia estar mais satisfeito com os resultados obtidos. Por isso, as nossas expectativas são altas», adianta com convicção.

Pedro Ferreira (Ford Ranger) reparte, «ex aequo» a vice liderança do campeonato

Na corrida ao triunfo vai estar, certamente, Alejandro Martins, que divide com João Ramos as vitórias nesta época. O piloto da Toyota Hilux, que desistiu em Loulé, vai tentar recuperar algum do terreno perdido, mas a tarefa não se afigura fácil num terreno bem conhecido da maioria dos pilotos.

À dupla Pedro Ferreira (Ford Ranger) e Hugo Magalhães só falta um triunfo para conhecer, esta temporada, todos os lugares do pódio – o mesmo sucede a Hélder Oliveira – mas a concorrência é numerosa, o que faz rodear esta prova de um encanto muito particular.

O piloto do Porto mantém, nesta prova a aposta na Ford Ranger, mas «era intenção estrear o novo projeto. No entanto, houve alguns atrasos na entrega do carro e pela falta de realização de testes preferi não arriscar», adiantou Pedro Ferreira.

«A Ford Ranger, apesar de não ter as especificações de 2018, é bastante competitiva e muito fiável e alcancei excelentes resultados nas primeiras provas do campeonato», acrescentou.

A estreia da nova VW Amarok da South Racing fica, assim adiada para a Baja TT Gondomar/Rota da Filigrana, mas será utilizada, em princípio, pelo aveirense Alexandre Ré, inscrito na prova alentejana.

Com dois quartos lugares, Tiago Reis surge com outra ambição para esta baja. O piloto do Mitsubishi Racing Lancer, que em Loulé venceu um dos setores cronometrados, evoluir é a palavra de ordem, apesar de «sabermos da qualidade dos nossos adversários. Temos de manter a regularidade e trabalhar muito para honrar os compromissos com os nossos patrocinadores», sublinha o piloto do Team Transfradelos, que faz dupla com Valter Cardoso.

De regresso, está Nuno Matos: os problemas no Opel Mokka Proto estão solucionados e o piloto de Portalegre, vencedor desta prova em 2016, promete «tentar lutar pelos primeiros lugares», enquanto prepara programa para o próximo ano e cujos contornos não foram ainda revelados.

O lote dos out-siders é reforçado por Paulo Rui Ferreira (Toyota Hilux) , que pode, igualmente, ter palavra a dizer na decisão desta baja.

André Amaral (Mercedes Proto), Lino Carapeta (Range Rover Évoque) e Nuno Madeira (Kia Sportage) podem animar luta pelos lugares cimeiros.

Na categoria T2, muito pouco participada, Rui Sousa (Isuzu D-Max) está imbatível esta temporada, mas entre os T8 a luta é intensa: Sebastião Dominguez lidera com um escasso ponto de vantagem para Mário Duarte.

Outro capítulo interessante de seguir é o Dsafio Total Mazda. Pedro Dias da Silva surge moralizado pelo triunfo no Algarve, mas é Jorge Cardoso que defende a liderança com cinco pontos de vantagem, enquanto Francisco Gil (3.º classificado) tenta recuperar uma dezena de atraso.

Programa da prova

Este ano, a prova de Reguengos de Monsaraz terá partida simbólica (22.30 horas) na noite de sexta-feira, seguindo-se desfile dos participantes através do centro da cidade alentejana.

No sábado, é dia de prólogo (8,28 km), a partir das 10.30 horas, do 1.º setor seletivo (141 km), às 1535 horas, estando o final previsto para as 17.15 horas.

Por fim, no domingo, nova passagem pelo setor da véspera, entre as 11.00 horas (partida) e as 12.40 horas (chegada).

Ao todo 292,28 km ao cronómetro para conhecer o vencedor da 3.ª prova do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno AFN, cujo «quartel-general» está instalado no Parque de Feiras e Exposições de Reguengos de Monsaraz.

Saber mais em: http://www.sar-motorismo.com/