Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal/Reguengos de Monsaraz: a primeira de Tiago Reis

a carregar vídeo

A atuação consistente, sem problemas de maior em termos mecânicos, protagonizada com sentido de vitória proporcionaram a Tiago Reis a primeira vitória da carreira, com alguma surpresa, no Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno AFN.

O piloto do Team Transfradelos só não venceu o prólogo da Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal/Reguengos de Monsaraz, e aproveitou os azares de João Ramos no 1.º dia – furo e problema elétrico – para conquistar a liderança, posição que manteve até final, após ter ganho ambos os setores cronometrados de 138 km cada.

«Não esperava vencer tão cedo no Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, uma vez que têm sido muito competitivos», confessou o vencedor.

Com este triunfo inédito, que acabou de algum modo por confirmar a linha ascensional percorrida pelo piloto do Mitsubishi Racing Lancer, com Valter Cardoso no banco do lado direito, Tiago Reis sobe dois lugares em termos de campeonato e ascende à vice-liderança.

Com o 2.º lugar alcançado, Hélder Oliveira (Mini Paceman) é o novo líder do campeonato

Apostado, de novo, em alcançar um bom resultado, Hélder Oliveira em dupla com Pedro Pires de Lima levou o Mini Paceman da CaTTiva Sport a novo 2.º lugar e, desse modo, ascender ao topo do campeonato.

Mas, nem tudo foram facilidades para o piloto de Barcelos, uma vez que a escolha da afinação da suspensão não foi a mais indicada:

«Desde início, que sentimos alguns problemas no carro, um vez que o percurso estava muito duro e o alinhamento do carro nas zonas rápidas não era o ideal», explicou Hélder Oliveira.

Sem baixar os braços, conseguiu manter o 2.º lugar, que trouxe juros acrescidos ao piloto de Barcelos: a liderança do campeonato.

Autor de espetacular recuperação, após ter furado no prólogo, Alejandro Martins (Toyota Hilux) terminou no pódio

Autor de notável recuperação – de 35.º para 3.º classificado – Alejandro Martins completou o pódio e só não foi mais longe — ficou a 19 segundos do 2.º lugar – por ter sofrido penalização de 1 minuto no derradeiro dia.

Um furo no prólogo quase deitou tudo a perder, mas o piloto da Toyota Hilux, com José Marques ao lado, atacou forte e «a meio do último troço já estávamos em segundo lugar. Terminámos a prova convencidos que era essa a nossa posição final, o que seria fantástico depois de termos começado numa das últimas posições.

Todavia, o excesso de velocidade numa zona com limite, por 1 km apenas, impediu a conquista do segundo lugar», referiu Alejandro Martins, que passou a liderar a Taça Ibérica.

No entanto, o objetivo mantém-se:

«O terceiro lugar é bom, mas merecíamos mais. Vamos continuar a lutar pelo campeonato e toda a equipa está de parabéns, pela excelente preparação da nossa Toyota e por todo o trabalho desenvolvido ao longo do fim de semana», acrescentou o piloto, grato à MRacing.

Bom regresso de Nuno Matos apesar dos problemas de travões no Opel Mokka Proto

Em tempo de regresso, Nuno Matos terminou a 14 segundos do pódio, apesar de problemas de travões no Opel Mokka Proto. «Ao ter de gerir o tempo de travagem, acabámos por perder sempre muito tempo», justificou o piloto de Portalegre, satisfeito com o resultado.

Outro regresso positivo foi o de Paulo Rui Ferreira, que colocou a Toyota Hilux na 5.ª posição, à frente do Mercedes Proto de André Amaral (6.º) e do Kia Sportage de Nuno Madeira (7.º).

Com uma recuperação brilhante – subiu 36 posições – Pedro Ferreira reagiu com muita garra ao incrível percalço sofrido no logo início da baja:

«Ter ficado sem gasolina no prólogo e a posterior penalização colocaram desde logo fora a aspiração em obter um bom resultado. Ultrapassámos 35 carros e penso que era muito difícil fazer melhor», referiu o piloto da Ford Ranger da South Racing.

Sempre ao ataque, o piloto nortenho subiu do 46.º para o 10.º lugar final, logo atrás do BMW X5 CC de Sérgio Vitorino (9.º).

A dupla César Sequeira/Filipa Sequeira (Nissan Navara) impôs-se enttre os T8

Autor do 8.º lugar da geral, César Sequeira (Nissan Navara) com a filha Filipa ao lado, venceu a categoria T8.

Bruno Oliveira/Paulo Marques (Mazda Proto) e Hugo Raposo/Joel Lutas Nissan Navara) completaram o pódio.

Entre os T2, Edgar Condenso/Nuno Silva venceram por 3.07 minutos, o duelo fratricida com a dupal Rui Sousa/Carlos Silva, igualmente em Isuzu D-Max.

Edgar Condenso (Isuzu D-Max) estreou-se a ganhar, esta época, na categoria T2

Na Taça de Portugal, triunfou a dupla alentejana Simão Comenda/Luís Coito (Nissan Navara).

Os azares de João Ramos

Primeiro líder da prova e vencedor folgado do prólogo, João Ramos parecia ter aberto o caminho para a vitória em terras do Alentejo.

Mas, os azares não tardaram, provocando descida para o 6.º lugar:

«Primeiro, foi a correia do alternador suplementar a saltar, desligando a alimentação das bombas de refrigeração dos travões; depois, ficámos sem limpa para brisas e, por último, tivemos um furo», explicou o piloto da Toyota Hilux.

Atacar foi, logicamente, a palavra de ordem para o derradeiro setor. Mas, a 30 km do final, novo balde de água fria:

«A nossa recuperação foi excelente, sempre a ganhar tempo a todos os adversários e quando tudo indicava, claramente, que íamos garantir a segunda posição, tivemos um problema na direção que se desapertou, impedindo de continuar em prova», referiu João Ramos, protagonista da primeira desistência da época.

Bruno Oliveira regressa para vencer Desafio Total Mazda

O regresso de Bruno Oliveira, em dupla com Paulo Marques, ao Desafio Total Mazda e às competições nacionais não podia ter sido mais auspicioso.

Pedro Dias da Silva dominou por completo no 1.º dia de prova, mas no derradeiro setor, o diferencial dianteiro cedeu e o atraso foi inevitável, com o piloto de Tomar a terminar no 4.º lugar, posição que lhe permitiu manter a liderança do Desafio.

Bruno Oliveira assumiu o comando, que manteve até final, sem ter sido atormentado por qualquer problema mecânico.

«Estou muito contente com este vitorioso regresso, ainda para mais numa prova pela qual tenho um carinho muito especial», sublinhou o vencedor.

Na hora do regresso, Bruno Oliveira venceu o Desafio Mazda

Com o 2.º lugar alcançado, a dupla Bruno Rodrigues/Ricardo Claro assegurou a vice-liderança do Desafio. O piloto alentejano geriu bem o andamento e tirou benefícios dessa aposta.

O último lugar do pódio foi conquistado por Filipe Videira/André Coimbra, estreantes no troféu.

Apesar dos problemas de suspensão, Floriano Roxo completou o lote de classificados.

Os estreantes Mário Pedro/João Santos foram a única dupla a não conseguir terminar, devido a uma falha no sistema de gestão do motor no último srtor cronometrado.

Desafio (após 3 provas): 1.º Pedro Dias da Silva, 55 pontos; 2.º Jorge Cardoso, 36; 3.º Bruno Rodrigues, 33: 4.º Bruno Oliveira, 26; 4.º Francisco Gil, 26.

Miguel Barbosa distinguido

Vencedor de nove edições, cinco delas de forma consecutiva, da prova organizada desde há 30 anos pela Secção de Motorismo da Sociedade Artística Reguenguense, Miguel Barbosa foi distinguido na noite do desfile dos concorrentes, com a entrega, pelo presidente do município local, José Calixto, de um troféu evocativo de tais proezas.

«É um orgulho para mim ser aqui homenageado e estou impressionado com a quantidade de espectadores presentes para este desfile. Reflete bem o entusiasmo que esta prova suscita», sublinhou o piloto.

De recordar que Miguel Barbosa iniciou, em Reguengos de Monsaraz, em 2002, o percurso de vitórias no todo-o-terreno, disciplina em que conquistou outro recorde: sete título nacionais,

Saber mais em :http://www.sar-motorismo.com/

Campeonato

1.º Hélder Oliveira, 57 pontos

2.º Tiago Reis, 56

3.º João Ramos, 45

4.º Alejandro Martins, 42

5.º Pedro Ferreira, 39

Próxima prova : Baja TT Gondomar /Rota da Filigrana, dias 16 e 17 de junho