O acordo não deve ser ratificado enquanto não houver “progresso no fim da impunidade sobre a violência ligada à desflorestação ilegal”, diz HRW.

Leia mais em www.dinheirovivo.pt