Nissan Micra 0.9 IG-T: O carro para quem quer ser 100% ‘cool’

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Autêntica pedrada no charco, o novo Nissan Micra traz consigo uma imagem de rebeldia que lhe assenta muito bem, provocando uma notória rutura com o modelo do passado. Aliás, do anterior Micra guarda apenas o nome (e a plataforma, mas nem parece…), porque de dimensões e de qualidade, o novo modelo está anos-luz à frente.

Por detrás deste novo Nissan está uma decisão tão ousada como necessária. Com o Micra da anterior geração a perder espaço comercial para uma concorrência que se revelava cada vez mais agressiva e dotada de argumentos, a marca nipónica teve de puxar dos galões para desenvolver e produzir um modelo com imagem completamente nova, embora imbuída dos mesmos códigos linguísticos daqueles que se podem ver no Qashqai, por exemplo. A sua plataforma ‘V’ transitou do último modelo, mas foi completamente revista para o novo Micra, que partilha igualmente alguns dos seus atributos com o Renault Clio.

Abaixo o cinzentismo

Por dentro, diferença abismal num modelo que eleva os padrões de qualidade para outros patamares e que tem construção muito melhorada (mesmo que melhorável aqui e ali, como por exemplo nas pegas interiores das portas). Na versão ensaiada, alguns dos revestimentos do tablier e da consola central surgem em couro com apontamentos laranja, a mesma cor que adorna a carroçaria (Energy Orange metalizada por 400€) e que lhe transmite uma vivacidade que assenta muito bem neste tipo de utilitários. O ecrã tátil desta versão tem manuseamento correto e boa visibilidade, mesmo que o grafismo pareça algo datado. Num detalhe bem pensado, o compartimento central pensado para os smartphones conta com um revestimento em borracha para que o mesmo não ande aos tombos pelo habitáculo.

Em termos de espaço interior, o Micra dá-se bem com quatro ocupantes, sobretudo ao nível da amplitude para as pernas atrás, dispondo igualmente de largura adequada para viagens ocasionais de um quinto passageiro. Fruto do visual mais desportivo, com linha do tejadilho descendente na parte traseira, a altura é o ponto em que menos sobressai, sendo mais incómodo para quem meça mais de 1,80 m. Ainda assim, em termos de habitabilidade, o Micra – que virou ‘maxi’ – dá também um salto em frente, ombreando agora com outras propostas de segmento que continua a ser dos mais importantes na Europa. Até mesmo a bagageira, agora com 300 litros, permite maior polivalência, mesmo que o lábio de carga seja elevado.

O que não se compreende muito bem é a opção – única – pela abertura dos vidros traseiros de forma manual. Num modelo que tem tantas características progressistas, este toque parece vir dum passado longínquo…

Motor espevitado

Um dos elementos de destaque deste Micra é o seu motor 0.9 DIG-T de 90 CV, uma unidade de três cilindros a gasolina, munida de turbocompressor, que permite um andamento bastante desenvolto tanto em cidade como fora dela. Com esta motorização, o pequeno Nissan ganha muita ‘alma’ a partir das 1500 rpm, mesmo que a sua suavidade não seja propriamente a melhor, uma vez que a entrada do turbo em ação, junto às 1900 rpm é facilmente detetável, com o ganho de energia algo repentino que, depois, em redor das 2700-3000 rpm começa a esmorecer. É, assim, entre as 1700 e as 3000 rpm que o Micra tem a sua faixa de utilização preferencial, não sendo preciso, de qualquer das formas, esticar o motor acima dessa fasquia. Permite, assim, um ritmo forte e despachado que muito apraz quem o conduz, embora o seu refinamento necessitasse de um pouco mais de trabalho, sobretudo a frio.

Quanto à caixa manual, tem atuação adequada, não exigindo grande esforço na passagem entre cada uma das cinco relações, contando, porém, com escalonamento da quinta relação mais longo. Essa medida visa, sobretudo, beneficiar os consumos (tem também start-stop para ajudar), mas os mesmos acabam por rondar os seis litros altos em condução típica do dia-a-dia, longe dos 4,6 l/100 km anunciados. No nosso ensaio alcançámos uma média mais real de 6,4 l/100 km.

Agilidade bem-vinda

Outro atributo muito melhorado pela Nissan nesta geração do Micra foi o da agilidade, com o novo modelo a surgir dotado de uma competência elogiável na forma como aborda as curvas e na forma também como filtra muitas das irregularidades do piso. Não será o mais eficaz em qualquer um dos cenários, mas o equilíbrio em ambas as premissas dá-lhe muitos pontos, permitindo-se ainda a ser divertido de conduzir em estradas fora da cidade. Aqui, as suas dimensões compactas e agilidade jogam muito a seu favor, mas é a polivalência de utilização que lhe dá mais pontos.

Além disso, tira partido de algumas tecnologias importantes, como o Nissan Chassis Control, que integra o Controlo Ativo da Carroçaria, o qual minimiza a oscilação da carroçaria ao passar por superfícies onduladas (como lombas), ao atuar nos amortecedores dos dois eixos para que a carroçaria não reaja em demasia ao desnivelamento do asfalto. Ao mesmo tempo, igualmente impercetível, mas também presente, o Controlo Inteligente de Trajetória ajusta a trajetória de acordo com a velocidade, acionando de forma muito discreta os travões do veículo.

Aposta na segurança

Ao nível do equipamento, além dos já mencionados revestimentos macios no interior, o Micra dispõe de um leque alargado de soluções interessantes. A segurança é, claramente, um dos campos em que a Nissan mais aposta, com este utilitário a dispor de série desde o nível mais baixo (Visia) de tecnologias como o Arranque Assistido em Subidas, SistemaAnti-colisão Inteligente ou o Alerta de Fadiga do Condutor.

Além disso, no caso do modelo ensaiado, Tekna, acrescentam-se-lhe itens importantes como o Pack Segurança Plus (com sistema Anti-colisão Inteligente com deteção de peões, regulador automático das luzes de máximos, Sistema Inteligente de Manutenção de Faixa e Identificador de sinais de trânsito), câmara de visão 360º e jantes em liga leve de 17″ Onyx.

Ao nível da tecnologia integrada no Micra, destaque muito relevante para o sistema de som desenvolvido em parceria com a Bose e que coloca dois altifalantes no encosto da cabeça do condutor (além dos outros altifalantes), dotando este Micra de uma qualidade sonora interior que merece enormes elogios. Denominado Bose Personal, este sistema acaba por ser um item obrigatório para quem tem bastante gosto na qualidade sonora a bordo.

Falta abordar o preço final deste Micra que, na versão ensaiada Tekna, exige 15.400€ (com financiamento RCI, sem ele é de 18.650€). Contudo, atendendo ao equipamento proposto e à qualidade geral, esta é uma das melhores propostas do segmento.

VEREDICTO

À Nissan, autoproclamada rainha dos SUV e crossovers – em boa verdade, as vendas do Qashqai dão-lhe algum realismo – faltava um modelo competitivo que pudesse enfrentar sem medos rivais como o Renault Clio, Peugeot 208, Ford Fiesta, Citroën C3 ou Volkswagen Polo, entre muitos outros cuja qualidade tem vindo a subir a passos largos.

Pois bem, o Micra reformulado é a solução para essa problemática, com um modelo bem concebido, espaçoso q.b., tecnológico e com condução que é também um ponto de interesse. O motor 0.9 DIG-T, não sendo o mais refinado, tem prestações que lhe dão muita genica dentro e fora da cidade. Se a malta jovem tem o chavão do ‘cool’, este novo Micra pode muito bem ser a fórmula para continuar a ser 100% ‘cool’ durante anos a fio. Um dos melhores carros do competitivo segmento dos utilitários e uma prova de que a Nissan ainda não perdeu o jeito a fazer dos Micra modelos de sucesso.

FICHA TÉCNICA

Nissan Micra 0.9 IG-T Tekna

Motor: Gasolina, três cilindros em linha, injeção indireta, turbo, intercooler
Cilindrada: 898 cm3
Potência: 90 CV às 5500 rpm
Binário máximo: 140 Nm às 2250 rpm
Suspensão Dianteira: Multibraços, independente McPherson
Suspensão Traseira: Barra de torsão
Tração: Dianteira
Caixa: Manual, cinco velocidades
Aceleração (0-100 km/h): 12,1 segundos
Velocidade máxima: 175 km/h
Consumo médio (medido) em l/100 km: 4,6 (6,4)
Emissões de CO2: 104 g/km
Peso: 1076 kg
Bagageira: 300-1004 litros
Comprimento/Largura/Altura (mm): 3999/1743/1455
Distância entre eixos (mm): 2525
Preço base (ensaiado): 18.650€/16.050€ com financiamento RCI (19.300€)

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.