Duas oliveiras destoam entre as mais de 200 companheiras no Monte da Oliveira Velha, a poucos quilómetros de Évoramonte. São anciãs bravas, com dois mil anos de vida, ali nascidas espontaneamente. Há 70 anos, o avô de João Miguel Rosado quis arrancá-las quando decidiu plantar o olival tradicional, alinhado com fileiras de trigo pelo meio. «Mas não havia máquinas para arrancar as raízes das rochas e assim foram poupadas», conta o professor de matemática de Évora, que há três anos decidiu pegar no antigo terreno do avô e fazer algo diferente com o olival. O meu avô vendia as azeitonas […]

Leia mais em www.evasoes.pt