17 de fevereiro de 1968: O dia em que a Toyota chegou a Portugal

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

O ano de 2018 é de festejos para a Toyota em solo nacional: a marca nipónica chegou a Portugal em 1968 e, desde então, tem palmilhado um caminho que no presente leva a companhia pelo Século XXI com o foco na mobilidade sustentada. As comemorações dos 50 anos da Toyota em Portugal irão manifestar-se em diversos eventos específicos, que pretendem também salientar a ligação muito forte ao nosso país.

O contexto da entrada da Toyota em Portugal não podia ser mais desafiante. Portugal estava ainda numa fase hermética em termos de ligação com o estrangeiro, fruto da longa ditadura salazarista, e a Europa estava prestes a sofrer uma série de convulsões sociais que teriam no célebre ‘Maio de 68’ o seu expoente máximo. Mas, para a Toyota, o dia 17 de fevereiro de 1968 tem um significado especial, sendo nessa mesma data que foi assinado o contrato de representação da marca nipónica pelas mãos de Salvador Fernandes Caetano.

O empreendedor trazia para Portugal a marca que viria a ser cada vez maior no mundo, cumprindo-se assim um primeiro passo para uma história de sucesso. Das 180 viaturas comercializadas no primeiro ano, hoje o número de vendas acumuladas supera já as 618 mil unidades ao longo destes 50 anos.

No que diz respeito às comemorações, a Toyota adianta que irá comemorar os momentos marcantes do passado, mas, ao mesmo tempo, “continuará a projetar um futuro de inovação e modernização da marca com as suas tecnologias de eletrificação. Em homenagem à visão do próprio Salvador Fernandes Caetano que afirmava: ‘Hoje como ontem, a nossa vocação continua a ser o Futuro’”.

A este respeito, evocando a sua própria história em Portugal, a Toyota recorda a frase publicitária criada pela agência de Artur Agostinho, a Sonarte, a qual desenvolveu uma campanha segundo a qual a “Toyota veio para ficar!”.

Mas o patamar de envolvência da Toyota com o território luso aprofundou-se passados apenas cinco anos do início da comercialização da marca em Portugal: em 1971 era trazida para Ovar aquela que viria a ser a primeira fábrica da Toyota implantada na Europa. Embora hoje tenha um posicionamento mais secundário em termos de produção, a fábrica mantém-se em atividade, produzindo o modelo Land Cruiser 70 com a particularidade de que toda a sua produção tem como destino o estrangeiro.

Corolla: o pioneiro

O primeiro modelo a ser comercializado no nosso país foi um Corolla (KE10) que, ao longo das suas dez gerações, vendeu mais de 180 mil unidades em Portugal. O modelo produzido durante mais tempo na fábrica de Ovar foi o Dyna que, em conjunto com a Hilux, “consolidou a imagem de robustez e fiabilidade da marca em Portugal”, salienta a marca.

Outros marcos destacados são a entrada em Portugal do primeiro híbrido de produção em série do mundo, o Toyota Prius, em 2000 (três anos depois de ter sido lançado a nível mundial), sendo que, em 2007, a Toyota voltou a ser pioneira com o Prius agora com carregamento externo – o Prius Plug-In (PHV).

Tanto o Prius Plug-in, agora na sua segunda geração, como o revolucionário Mirai (que significa ‘futuro’ em japonês), uma berlina alimentada a pilha de combustível a hidrogénio, revelam a aposta da Toyota na sustentabilidade ambiental, passados mais de 20 anos da introdução do Prius. A respeito do sucesso desta sua solução de eletrificação, a Toyota superou já os 11,47 milhões de veículos comercializados.

Tendo vendido até ao presente um acumulado de mais de 618.000 unidades em território nacional, a Toyota possui atualmente uma gama de 16 modelos e conta com uma gama alargada de oito modelos eletrificados com a tecnologia “Full Hybrid”.

Em 2017, a marca Toyota encerrou o ano com uma quota de mercado de 3,9% correspondente a 10.397 unidades, correspondendo a um aumento de 5,4% em relação ao ano anterior. Consolidando a sua posição de liderança na eletrificação automóvel alcançou em Portugal um aumento expressivo na venda de viaturas híbridas (3.797 unidades), com um crescimento de 74,5%, face ao ano 2016 (2.176 unidades). Destaque ainda para o ‘peso’ da marca em Portugal em termos humanos, uma vez que conta com cerca de 1500 pessoas no total da empresa.

Fundada em 1937 no Japão, a Toyota passou dos teares para os automóveis a sua filosofia de ‘fazer mais com menos’, admitindo como critérios fundamentais de atuação o respeito para com o ambiente, qualidade e fiabilidade dos seus produtos e satisfação máxima dos seus clientes. Como curiosidade, refira-se que a Toyota nasceu como Toyoda (por ação de Kiichiro Toyda), mas depois de uma competição para encontrar um novo logótipo, em 1936, optou-se por mudar o nome para Toyota. A razão teve um pouco de superstição e de racionalidade. Por um lado, o nome Toyota implicava oito movimentos de escrita na grafia nipónica, sendo o ‘oito’ um digito que se acredita ser de sorte (トヨタ). Por outro, por uma questão de sonoridade, a consoante ‘t’ no final era melhor foneticamente do que o ‘d’ em Toyoda.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.