‘Diário de bordo’ do Audi A8/Dia 1: O barulho fica lá fora

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

O ensaio desta semana tem como protagonista o novíssimo Audi A8 na versão 50 TDI quattro com motor 3.0 de 286 CV de potência. O novo representante máximo de luxo da marca alemã apresenta uma série de mais-valias em termos de qualidades técnicas e tecnológicas. Inauguramos aqui um ‘diário de bordo’ referente ao A8, com apreciações da nossa vivência diária a bordo deste luxuoso automóvel.

A primeira impressão é de que o A8 é grande, muito grande, com os seus 5172 mm de comprimento e 2998 mm de distância entre eixos. A razão é simples: o interior é quase uma sala de reuniões para executivos, com espaço avultado para as pernas e também em altura e largura. Além disso, todas as comodidades de um lounge tecnológico, incluindo dois tablets de grandes dimensões, bancos traseiros com ajuste elétrico e banco central com comandos para os bancos e mais um pequeno comando para controlo do sistema de multimédia nos lugares posteriores. Mas isso para outro dia.

Ao volante, o A8 disfarça na perfeição o seu tamanho, sendo esta a versão de distância entre eixos mais curta (a versão mais longa está prestes a chegar e terá um acréscimo de 2700€ face ao modelo mais curto, incluindo já no preço o teto de abrir). É surpreendentemente ágil e ligeiro, mas aquilo que mais impressiona é mesmo a qualidade da insonorização. Assim que as portas se fecham, o mundo exterior com os seus ruídos, apitos e gritos fica ‘lá fora’, firmando-se uma separação notória entre as duas realidades.

Mesmo em andamento, o A8 deixa os seus passageiros em total isolamento, com o ruído do motor perfeitamente contido e apenas se ouvindo, quanto muito, a suspensão a trabalhar na passagem pelos muitos e profundos buracos dos troços de TT… perdão, das estradas nacionais. Em suma, qualidade generalizada também no aspeto dos materiais utilizados e na construção a bordo.

A conectividade fica a cargo de um sistema avançado que permite ligação à Internet, rádio digital, Google Maps, rádio digital e emparelhamento com os smartphones. Enfim, se a insonorização nos ‘fecha’ perante o ruído e azáfama do mundo exterior, este sistema de conectividade abre uma ‘porta’ para esse mesmo mundo, consoante aquilo que nos interessa. Exemplo disso é o facto de, até aqui, termos conduzido sempre ao som de rádios alemãs e dos seus êxitos de culto das décadas de 1980 e 1990. Viva a variedade!

Amanhã, o segundo dia do nosso diário de bordo irá versar sobre a condução e a nossa infelicidade de não ter um ‘jarbas’ para que possamos desfrutar de algo que, no A8, é condição maior: o conforto e luxo dos bancos traseiros.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.