A Ford tem sido uma marca que não tem aparecido muito nas notícias relativas a automóveis elétricos. O Focus elétrico e o Mondeo híbrido têm servido mais como montra tecnológica do que a Ford é capaz de fazer, mas o público não tem demonstrado interesse ao nível dos carros elétricos de outras marcas. Só que tudo isso vai mudar em breve, já que a Ford vai apostar em força na eletrificação da gama, com 40 novas propostas deste género até 2022.

Destes 40 novos modelos, 22 vão ser híbridos e 16 vão ser elétricos puros, incluindo o Mach 1, um SUV desportivo inspirado no Mustang. Aliás, essa é uma das ideias de Ted Cannis, responsável pelo desenvolvimento de carros elétricos na estrutura da Ford. Cannis quer que os seus novos automóveis sejam entusiasmantes para o público, visualmente e em termos de condução, de modo a poderem lutar contra uma concorrência que está a responder às necessidades do mercado de ter carros ecológicos e práticos e interessantes ao volante.

Recentemente, a Ford anunciou que vai deixar de produzir automóveis ligeiros nos Estados Unidos, com exceção do Mustang, ficando apenas com crossovers, SUVs e pick-ups, os formatos de maior sucesso nos EUA. Estes veículos são mais pesados que automóveis normais, mas também têm estruturas com mais espaço para montar baterias e motores elétricos, oferecendo mais potência sem perda de autonomia e ligada às quatro rodas, sem necessidade de um veio de transmissão e poupando espaço no habitáculo e na bagageira. Na Europa, modelos como o Fiesta e o Focus não vão desaparecer, mas os SUVs também pode beneficiar desta tecnologia.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.