Já conduzimos os novos furgões elétricos Mercedes-Benz

A Mercedes-Benz levou-nos a Hamburgo para ficarmos a conhecer o eVito e o eSprinter, os seus furgões 100% elétricos.

Esta cidade portuária, localizada no norte da Alemanha, é um dos centros urbanos europeus mais empenhados na adoção de veículos elétricos em grande escala, quer para as entidades públicas quer para o setor privado.

A pressão de várias autarquias germânicas junto dos construtores, para produzirem veículos sem emissões locais, tem sido um dos fatores mais relevantes para a eletrificação das gamas presentes e futuras.

Nesta transformação, os veículos comerciais desempenham um papel decisivo em termos económicos. Dirigidos a clientes profissionais, cujos critérios são muito objetivos, estes modelos são comparados diretamente com as versões com motores de combustão.

Para receberem a preferência dos empresários, têm que apresentar vantagens tangíveis face aos modelos convencionais

A Mercedes-Benz, em conjunto com empresas que já eram clientes — como a Hermes e a Amazon Logistics — desenvolveu dois novos modelos que vai começar a entregar já este ano.

Até 150 km de autonomia

O eVito tem um pack de três módulos de baterias de 41,4 kWh, que lhe confere uma autonomia de aproximadamente 150 km. Mesmo com condições de temperatura, carga ou terreno desfavoráveis, garante ao seu utilizador uma autonomia de 100 km.

O carregamento total da bateria, limitado a uma velocidade de carregamento de 7,2 kWh, demora apenas seis horas.

A cadeia cinemática elétrica a bateria produz uma potência de 84 kW e até 300 Nm de binário, estando o seu desempenho dimensionado para uma utilização urbana.

A velocidade máxima pode ser ajustada à utilização operacional relevante, entre os 80 e os 120 km/h, consoante as necessidades de utilização.

O eVito está disponível em duas versões de distância entre-eixos. O modelo base tem um comprimento total de 5140 mm e uma capacidade máxima de carga de 1073 kg e é desta forma comparável ao Vito equipado com motor convencional.

A versão extralonga mede 5370 mm. O seu maior espaço de carga de dimensões generosas pode acomodar carga até uma capacidade de 1048 kg. O peso bruto admissível do veículo é de 3200 kg.

Módulos de bateria refrigerados

O posicionamento das baterias, em baixo e entre os eixos, também garante a máxima flexibilidade com uma capacidade de carga entre 6.0 e 6.6 m3:

Os módulos de bateria utilizados no eVito são idênticos ao do Classe S híbrido Plug-In, com refrigeração líquida por intermédio de uma placa central.

Os módulos são protegidos por um robusto cárter que assegura a sua integridade, mesmo em caso de acidente. O conjunto de três módulos e respetiva estrutura pesam um pouco mais de 400 kg.

As baterias têm uma garantia de oito anos ou 100 000 quilómetros.

Ao volante do eVito

Os eVito que pudemos conduzir, num percurso exclusivamente citadino em Hamburgo, são exemplares de pré-série, mas já equipados com todas as funcionalidades que sairão para o mercado.

Estão equipados com o tradicional travão de estacionamento Mercedes-Benz, acionado por um pedal e libertado por um manípulo embutido no tablier, do lado da porta do condutor.

Neste breve contacto fui sempre acompanhado por um técnico da Mercedes-Benz.

A condução do eVito não podia ser mais simples, com comandos leves, que iludem as dimensões deste furgão que, apesar de não ser muito comprido, é bastante volumoso.

As variáveis na sua utilização estão relacionadas com a possibilidade de escolhermos três modos de desempenho, que permitem maior potência e binário ou, reduzindo a disponibilidade dests forças, ampliam o alcance de cada carga de bateria, reduzindo o consumo energético.

Também a recuperação de energia na travagem tem regulação à escolha do utilizador. Com quatro posições, curiosamente selecionadas com duas aletas do volante, indo do modo mais eficiente à total ausência de regeneração.

A principal consequência na condução é de que, em E++, quase não é necessário utilizar o pedal do travão. E digo quase, porque o sistema de regeneração nunca chega a imobilizar completamente o veículo. Leva-o apenas ao modo “tartaruga” com uma velocidade de 7 km/h.

O eVito chegará a Portugal no primeiro semestre de 2019, mas ainda não tem preço anunciado.

Numa demonstração realizada com a eVan Ready App, os seus custos operacionais em três anos, num regime de leasing, com 25 000 km anuais em utilização urbana, o eVito apresentava um resultado virtualmente idêntico ao do Vito equivalente com motor Diesel.

É de salientar, no entanto, que estava incluída o incentivo de 4000 euros que existe na Alemanha para a aquisição dos VE, que é superior ao existente em Portugal. Contas certas para este exercício, só com os valores em Portugal e a adaptação da eVan Ready App para o nosso mercado.

eSprinter, mais espaço e uma surpresa

Numa fase um pouco mais atrasada de desenvolvimento, o eSprinter vai estar disponível alguns meses após o eVito.

Este furgão com tejadilho elevado e um peso bruto admissível de 3500 kg oferece mais espaço (10,5 m3) e, na sua versão elétrica, terá maior modularidade do que o eVito.

Na versão de série, o seu pack de baterias contará com um quarto módulo, para um total de 55 kWh, necessário para manter a mesma autonomia de 150 km do eVito.

Todavia, esta versão estará limitada a uma capacidade máxima de carga de 900 kg.

Vai existir uma versão com três módulos de bateria (os mesmo do eVito), num máximo de 41 kWh, com autonomia reduzida para 115 km, mas uma capacidade máxima de carga de 1040 kg.

Tal como o motor diesel de entrada de gama, o motor elétrico no eSprinter produz uma potência de 84 kW e um binário máximo de até 300 Nm. Também como no eVito, a velocidade máxima pode ser ajustada à utilização operacional, entre 80 e 120 km/h.

Depois de várias pergunta a alguns técnicos da Mercedes-Benz, o Watts On descobriu, no entanto, uma significativa diferença, que foi omitida desta apresentação.

É que, ao contrário do eVito, o eSprinter vai estar equipado com uma ficha CCS (Combined Charging System), podendo carregar tanto em velocidade lenta (Corrente Alternada) como em velocidade rápida (Corrente Contínua).

Utilizando esta última, poderá ter uma velocidade de carregamento de até 50 kWh. O eVito, para já, está limitado à ficha Mennekes e uma velocidade máxima de carregamento de 7,2 kWh.

Segundo apuramos, nos modelos disponíveis para teste, um dos eSprinter tinha a ficha Mennekes e os três restantes já tinham a CCS.

Ao volante do eSprinter

O teste do furgão de maiores dimensões foi realizado num pequeno circuito desenhado com cones.

O motivo principal para não irmos dar uma volta por Hamburgo prende-se com o facto de os eSprinter ainda não estarem homologados para circular livremente na via pública. Podem fazê-lo apenas quando conduzidos por técnicos da Mercedes-Benz.

A maior altura do habitáculo é uma das principais diferenças, mas nestes exemplares um pouco mais distantes da produção, há outras.

Há um botão de emergência que parece um cogumelo, não existe chave de ignição à vista (está escondida por baixo do tablier) e o travão de estacionamento é comandado por uma banal alavanca entre os bancos.

Além disso, estamos limitados — como quem diz — ao desempenho mais generoso do motor elétrico: potência e binário máximos.

Mantém-se, no entanto, as alhetas para regular a intensidade da regeneração, com um modo “tartaruga” que desce até aos 5 km/h indicados.

Tal como no eVito, a condução é feita sem esforço, com grande conforto e agilidade. A colocação das baterias permite mesmo baixar o centro de gravidade em ambos os modelos face aos congéneres com motor Diesel.

O eSprinter vai chegar ao mercado português alguns meses depois do eVito, provavelmente ainda em 2019.

Uma aplicação que ajuda a decidir

A eVan Ready App é uma aplicação desenvolvida pela Mercedes-Benz que ajuda os empresários a perceber se faz sentido adotar um furgão elétrico face a um furgão convencional.

Esta App calcula os custos operacionais dos dois tipos de veículos, incluíndo o custo de aquisição, custo energético, manutenção, impostos, entre outros.

Vai estar disponível também em Portugal, em princípio, também em 2019.

PRO Connect com novas funções

Os serviços digitais Mercedes PRO connect são um complemento importante para um controlo de frotas economicamente eficiente. Estes incluem serviços de gestão de serviço e de manutenção, juntamente com uma análise do estilo de condução, comunicação otimizada entre o gestor de frota e os motoristas, ou uma verificação à distância através de smartphone se as portas foram trancadas e os vidros fechados.

Para os veículos elétricos, passa a existir também um novo serviço que permite a utilização da gestão de carregamento inteligente, fornecendo uma indicação contínua do estado de carga de cada veículo. Como resultado, a infraestrutura de carregamento pode ser aplicada com a máxima eficiência possível por forma a que não sejam necessários investimentos adicionais no aperfeiçoamento das instalações da empresa.

Sempre em contacto direto com as necessidades dos seus clientes, a Mercedes-Benz parece estar a preparar o futuro das suas ofertas de mobilidade de forma bastante eficiente e variada, assegurando que os seus modelos podem ser adaptados a todo o tipo de negócios, desde as micro-empresas às frotas com centenas de veículos.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.