Lexus UX: O arrojo que marca a diferença entre os SUV compactos

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Marcando pela diferença – sempre o objetivo da Lexus –, o novo UX vai reforçar a gama de crossovers da marca Premium japonesa, propondo uma série de novidades relevantes, como uma nova plataforma e uma nova motorização a gasolina e híbrida (UX 250h) que irá assim desafiar as propostas da concorrência.

Se há adjetivo que nunca se pode colar a um Lexus é o de monotonia. A marca Premium faz gala do seu estatuto de diferenciação em relação às demais marcas do segmento superior e com o UX repete a fórmula, funcionando como um modelo de entrada para a Lexus sem descurar, no entanto, o foco na qualidade artesanal e tecnologia imaginativa, sobretudo com diversos sistemas de assistência à condução e de infoentretenimento..

A marca apelida este modelo como uma proposta direcionada para “o explorador urbano moderno”, com detalhes importantes como uma posição de condução baixa para condução dinâmica e uma arquitetura de base na nova plataforma global GA-C, que possibilita elevada rigidez estrutural e um centro de gravidade baixo.

Novidade é também o capítulo das motorizações, com o surgimento de uma nova proposta a gasolina de 2.0 litros que colhe as vantagens de uma elevada eficiência térmica em termos de economia de combustível e de prestações, além de um novo sistema híbrido – self-charging hybrid – de 178 CV, de quarta geração na variante UX 250h. Este terá opção entre tração dianteira e sistema E-Four. Já o modelo com motor a gasolina convencional 2.0 (UX 200) tem disponível uma nova caixa de variação contínua Direct Shift, em que a à já conhecida caixa CVT se junta uma engrenagem de primeira relação para melhores performances em arranque.

O sistema híbrido dispõe de uma nova unidade compacta e leve de controlo de potência, concebida para minimizar as perdas de energia através do calor e da fricção. Foi utilizada uma nova bateria de níquel-metal-hidreto (NiMH) com uma construção revista e um sistema de refrigeração mais compacto que lhe permite ter dimensões menores, o que foi determinante para a sua colocação a debaixo do banco traseiro. Dessa forma, foi minimizada a intrusão no espaço de carga e conseguiu-se baixar o centro de gravidade do UX.

 

Quanto ao sistema E-Four, este fornece capacidade de tração integral ao UX 250h, fruto da instalação de um motor elétrico adicional no eixo traseiro. A distribuição de energia entre os eixos dianteiro e traseiro é otimizada automaticamente na aceleração, em curva ou na condução sobre superfícies escorregadias. Quando é detetada uma perda de motricidade em qualquer roda traseira a quantidade de potência que pode ser direcionada para esse eixo é aumentada de 60% para cerca de 80%, a velocidades de até 70 km/h.

As suspensões dianteira do tipo MacPherson e traseira com duplos triângulos sobrepostos foram desenhadas e afinadas para promover o equilíbrio entre conforto de rolamento e resposta imediata ao movimentos do volante. Foi dada especial atenção ao desempenho dos amortecedores e à qualidade do óleo dos mesmos, bem como aos vedantes do óleo e ao controlo de fricção.

Um sistema de direção assistida eletricamente, com nova coluna compacta e rígida, foi adotada para o UX, com um veio de coluna de diâmetro superior. Esta solução contribui para um comportamento com reações mais rápidas e incisivas em resposta às solicitações do condutor, além de uma boa sensação no manuseamento da direção.

Conforto e espaço

No processo de desenvolvimento deste UX, a marca procurou, sobretudo, manter o cunho de qualidade artesanal que caracteriza o resto da gama, juntando-lhe a típica fórmula de tradicionalismo nipónico. Em termos de medidas, o UX mede 4,495 m de comprimento, 1,520 m de altura e 1,840 m de largura e tem uma distância entre eixos de 2,640 m. O espaço de 870 mm entre as costas dos bancos da frente e os traseiros “garante um amplo espaço para passageiros traseiros”, de acordo com a marca nipónica.

Foram produzidos quatro novos modelos de jantes de liga leve para o UX, com diâmetros de 17 e 18 polegadas. As rodas de 17 polegadas de cinco raios fazem a estreia mundial de um design aerodinâmico.

Design de interiores

Mesmo sendo um modelo de entrada, a Lexus não pretende fazer concessões em termos de qualidade e de requinte. Um dos objetivos da equipa de desenvolvimento foi procurar a eliminação das fronteiras entre design exterior e interior. Este conceito é mais evidente a partir do banco do condutor, onde a parte superior do quadro de instrumentos parece projetar-se além do para-brisas. Por outro lado, visto de fora, o capot parece estar diretamente unido ao quadro de instrumentos. Este efeito é inspirado na forma como o conceito tradicional japonês engawa dilui a fronteira entre o interior e o exterior de uma casa.

Já os estofos em pele lisa, disponíveis no UX, são feitos através da técnica sashiko, uma técnica japonesa tradicional para acolchoar e que também é usada na confeção de uniformes de artes marciais como o judo e o kendo. A pele acolchoada é decorada com novos padrões perfurados que formam curvas matemáticas e gradações alinhadas, melhorando a aparência dos bancos.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.