A Lotus prossegue a sua fase de transição e ingressa no segmento dos SUV elétricos com o novo Eletre, que é apresentado como um ‘Hiper-SUV’. Este é, aliás, um modelo de estreias para a Lotus: o primeiro de produção com cinco portas, o primeiro com a nova plataforma EPA e o primeiro fora do segmento dos coupés desportivos.

Conhecido até há pouco tempo apenas pelo seu nome de código, Type 132, o Eletre é resultado de um processo de desenvolvimento minucioso na preparação de um modelo para todos os mercados, mantendo a filosofia de engenharia de baixo peso e de inovação por que a Lotus é reconhecida mundialmente.

Tecnicamente, este novo Eletre apresenta um sistema motriz de 600 CV de potência, com uma bateria de mais de 100 kWh de capacidade que lhe permite uma autonomia em redor de 600 quilómetros entre carregamentos. Com tração integral, o Eletre é também capaz de se deslocar a tipos de terreno menos comuns.

Com possibilidade de carregamento rápido até 350 kW, será possível repor até 400 quilómetros em apenas 20 minutos nos postos compatíveis. Nas tomadas mais convencionais e fáceis de encontrar por via das ‘wallboxes’, o novo SUV da Lotus também pode carregar a 22 kW em postos AC.

A velocidade máxima está estipulada nos 260 km/h, conseguindo acelerar dos zero aos 100 km/h em menos de três segundos.

Tecnologicamente, este modelo incorpora também o conjunto de aerodinâmica ativa mais avançado alguma vez aplicado num SUV de produção em série, de acordo com a Lotus, com tecnologias de assistência à condução assentes em sensor LIDAR para maior precisão.

A denominação Eletre dá continuidade à tradição de nomes começados pela letra ‘E’, simbolizando ‘Ganhar Vida’ nalgumas línguas do Leste europeu. De acordo com a Lotus, é um elo apropriado com o facto de o Eletre representar um novo início para a história da Lotus, tratando-se de um modelo elétrico acessível e o primeiro SUV.

Este modelo tem por base a nova plataforma Electric Premium Architecture (EPA), que se pode adaptar a diferentes estilos de carroçaria, diferentes baterias, motores, componentes e a segmentos dispares, prevendo assim a expansão da gama da Lotus.

Este é o primeiro de uma série de novos modelos de performance elétricos a serem construídos pela nova infraestrutura da Lotus em Wuhan, na China, num desenvolvimento que foi revelado anteriormente quando a marca delineou o seu plano para o futuro. Recorde-se que a Lotus é atualmente parte do conglomerado chinês Geely. O seu desenvolvimento decorreu no Reino Unido, com a cooperação de equipas na China, Suécia e Alemanha.

As primeiras entregas do novo Eletre irão acontecer no início de 2023.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.