Mercedes-AMG C 63: Atualização dinâmica

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

A Mercedes-AMG continua a renovar a sua gama de modelos e, após o C 43 4Matic, chegou a vez de atualizar a versão mais excitante na gama C, os C 63. O grande destaque está, como não poderia deixar de ser, no motor V8 bi-turbo com dois níveis de potência – 476 CV para ‘entrada’ e 510 CV para o mais desportivo S, ambos associados à caixa de velocidades AMG Speedshift MCT 9G com respostas melhoradas.

Em termos visuais, o novo C 63 é ainda mais apelativo: a grelha do radiador específica da AMG destaca a identidade da marca e realça uma aparência musculada. O interior beneficia de um painel de instrumentos totalmente digital com os inconfundíveis ecrãs e a nova geração de volantes AMG, como já foi visto também no C 43. Visto de lado, todos os modelos C 63 destacam-se pela adição de saias laterais desportivas e de novas jantes de liga leve AMG aerodinamicamente otimizadas. O aro exterior e a geometria dos raios das jantes especificamente desenhados foram aperfeiçoados com recurso a um túnel de vento.

De série no modelo de entrada (476 CV), o C 63 traz jantes de 18 polegadas com 10 raios em cinza brilhante, enquanto a versão S dispõe de jantes de 19 polegadas com cinco raios duplos, também em cinza brilhante, sendo opcional para o modelo de entrada.

Na traseira, há também mudanças no estilo, com a remodelação dos revestimentos das duplas ponteiras de escape com acabamento cromado brilhante e novo difusor. As versões S são adicionalmente fornecidas com um painel difusor. O visual lateral em cortina de ar do para-choques traseiro melhora o escoamento do ar na traseira, tal como o spoiler da bagageira (na Station surge montado no tejadilho) pintado na cor da carroçaria.

No interior, seguindo de perto as premissas do C 43, a tónica está na desportividade, com a especificação de série a incluir revestimento preto dos bancos em pele sintética ‘Artico’/microfibra ‘Dinamica’, combinado com o revestimento lacado preto/alumínio de grão longitudinal fino. A marca permite ainda diversas opções de personalização do interior no que diz respeito a revestimentos.

Nota, ainda, para os bancos desportivos opcionais AMG Performance com suporte lateral do corpo melhorado através das câmaras-de-ar incorporadas. Para a versão Cabriolet, está também disponível como equipamento opcional o sistema de aquecimento da zona do pescoço Airscarf. Os bancos desportivos AMG estão disponíveis em todas as opções de revestimento.

O novo volante AMG, estreia absoluta, conta com comandos integrados táteis, sendo também de salientar a presença do painel de instrumentos totalmente digital (um opcional que aporta maior modernidade), com largura diagonal de 31,2 cm (12.3 polegadas), que dá vida às funções do veículo com os três estilos de apresentação específicos da AMG, os quais incluem o “Classic”, “Sporty” e o “Supersport”.

Solte o Hamilton que há em si

Nestas versões AMG, nota ainda para as muitas informações adicionais acessíveis a partir de um menu específico, como aquelas relativas ao aquecimento (temperatura do óleo do motor e da caixa de velocidades, mais a pressão de sobrealimentação na forma de indicador Boost), as dos estados de vários sistemas como o binómio motor/caixa, suspensão, dinâmica AMG, sistema de escape, ESP, caixa de velocidades e indicadores de forças G e cronómetro de pista. No caso de se optar pela opção AMG Track Pace, o cronómetro é substituído e é apresentado o menu “AMG Track Pace, com a visualização das pistas de corrida, os tempos realizados em cada setor e em cada volta.

Está ainda incluída uma vista específica do AMG Track Pace no opcional ecrã head-up (HUD) com uma imagem do circuito, das curvas, dos pontos de travagem, da variação da velocidade e dos tempos absolutos efetuados

As quatro versões de carroçaria estão disponíveis para o modelo base e para o modelo S: o motor V8 bi-turbo de 4.0 litros produz respetivamente uma potência de 476 CV ou 510 CV e um binário máximo de 650 ou 700 Nm. Em função da versão da carroçaria, o C 63 S acelera dos 0 aos 100 km/h em 3,9 segundos, enquanto o C 63 fá-lo em 4,0 segundos. A velocidade máxima é de 290 km/h para o C 63 S e de 250 km/h para C 63 (ambas limitadas eletronicamente).

A motorização destes C 63 já é bem conhecida da marca, sendo utilizada em vários AMG. Com oito cilindros, turbo duplo e 4.0 litros de cilindrada, a característica distintiva deste motor reside no facto dos dois turbocompressores estarem posicionados não no lado exterior dos blocos do motor, mas antes no lado interior entre os dois blocos. As vantagens principais deste conceito estão na construção compacta do motor e numa resposta rápida às solicitações do condutor. O C 63 está agora equipado pela primeira vez com a caixa de velocidades AMG Speedshift MCT 9G, que os engenheiros da Mercedes-AMG afinaram especificamente para uma experiência de condução dinâmica (inclui modo ‘Manual’ com passagens de caixa através das patilhas de mudanças no volante). Tal como sucede no AMG C 43, também aqui a transmissão mantém a velocidade selecionada e não passa para uma velocidade superior quando o limite de rotação do motor é atingido.

Maior diferenciação nas experiências de condução

Em função do motor, estão disponíveis até seis programas da transmissão: “Slippery”, “Comfort”, “Sport”, “Sport+”, “RACE” e “Individual”. Estes níveis podem ser selecionados através da patilha da alavanca de velocidades na consola central e armazenados com o novo atributo do programa da transmissão AMG Dynamics, que pode ser ajustado para corresponder às características de comportamento do C 63 S aos diferentes requisitos e condições de condução de uma forma mais diferenciada.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.