Novo Ford Fiesta Active: Nesta ‘festa’ aventureira entra-se com estilo

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Dentro da família Fiesta, a aventura passa a ser agora uma possibilidade fora da cidade, graças à chegada iminente da variante Active, a qual adere à moda dos crossovers com base nos utilitários de segmento B. Chegando relativamente tarde a esta moda, a Ford consegue, ainda assim, fazer mossa: esta derivação recupera os pontos tendencialmente fortes do Fiesta de base e trabalha-os para aquela que é uma muito agradável surpresa.

Diga-se a verdade, a denominação Fiesta já deu para quase todo o tipo de trocadilhos no jornalismo automóvel, pelo que encontrar um novo não é fácil. Ainda assim, esta ‘festa’ aventureira explica-se bem: com o modelo Active, que prefigura uma noção mais versátil fora dos habituais troços da cidade, a Ford procura cativar uma franja muito específica de clientes que cada vez mais sente o apelo destas carroçarias mais distantes do solo e com maior robustez aparente, mesmo que as suas capacidades fora do asfalto nunca sejam as mais virtuosas. Mas o estilo é aqui um ponto muito forte.

No caso premente deste Fiesta Active, há uma distância ao solo maior, com um aumento de 18 mm face à versão de base, enquanto a largura de vias cresceu 10 mm, oferecendo assim um aspeto mais robusto. Com efeito, olhando para o Fiesta Active, é difícil lembrar como era um Fiesta em 1994, dado o ganho de dimensões. Além da maior altura ao solo, a marca procedeu também a um trabalho de afinação específico do chassis, nomeadamente ao nível da suspensão, ao passo que a carroçaria está agora repleta de detalhes estéticos específicos, sobretudo em termos de proteções inferiores, tirando ainda partido das barras do tejadilho para a sua maior noção de volume.

A grelha dianteira apresenta um desenho específico com um contorno escuro, ao passo que os faróis de nevoeiro estão inseridos em pequenos ‘boomerangs’ nas laterais do para-choques dianteiro. Atrás, também o para-choques é distinto, a par dos farolins com tecnologia LED. As jantes exclusivas de 17 polegadas também contribuem para o visual dinâmico, mas ao mesmo tempo musculado. Quanto a cores, o Amarelo Lux, o Vermelho Ruby e o Azul Wave são novidades, podendo ainda optar por cores contrastantes do tejadilho. A moda é mesmo algo que se ‘pega’…

Interior em detalhes

A chegada da nova geração do Fiesta coincidiu com a intenção da marca de tornar este modelo mais Premium, aproximando-o dos cânones qualitativos que são usuais no segmento acima, o do Focus. Assim, conta com materiais de qualidade, macios ao toque na parte superior do tablier, e excelente montagem entre painéis. Em termos visuais, alguns retoques de cor em contraste com o negro do tablier e bancos oferecem irreverência, destacando-se ainda o volante e alavanca da caixa de velocidades em pele e os muitos elementos em alumínio acetinado.

Pontos destacados pela Ford são as soleiras das portas com a insígnia Active e o padrão listado dos bancos, podendo também este modelo receber um tejadilho panorâmico como opcional.

Activ(amente)

A pensar naqueles que procuram uma vida mais aventureira com utilização na terra e na lama, a Ford preparou alguns elementos do interior mais resistentes, como o material dos bancos ou os tapetes, os quais foram desenvolvidos com materiais mais resistentes. Os bancos, por exemplo, suportaram mais de 60.000 ciclos de teste de resistência ao desgaste e o rigor da cor ao longo da utilização é testado por intermédio de um padrão controlado de simulação de condições meteorológicas. Análises posteriores com recurso a espectrómetros asseguram que as cores vivas que são deixadas à ‘torreira’ do Sol não se esbatem. Indo mais além, até mesmo o volante em pele é testado para resistir ao protetor solar…

Levar a Fiesta para longe

O novo Fiesta Active tem ainda o condão de equilibrar de forma muito eficaz o seu lado versátil e de grande conforto com o dinamismo que já é comum aos modelos da Ford, sobretudo no caso do Fiesta, que tem um chassis muito bem concebido de raiz e que, nesta variação, não deixa os seus créditos por mãos alheias, conforme nos revelou Robert Stiller, responsável pelo desenvolvimento do Active: “Quisemos preservar o lado dinâmico do Fiesta, mas também acrescentar uma maior robustez e capacidade fora do asfalto”, explicou-nos, argumentando que este modelo, em conjunto com a linha ST-Line (não confundir com o ST e 200 CV) deverão representar um total de 30% de vendas da gama.

a carregar vídeo

Para corresponder a essas expectativas, o Fiesta Active conta com amortecedores dianteiros otimizados com novos batentes hidráulicos para melhor absorção das irregularidades no piso, mas também com afinações específicas das molas e dos próprios amortecedores. Dispõe ainda de geometria única para a suspensão e especificações diferentes para o módulo de assistência da direção e do controlo eletrónico de estabilidade (ESC). A partir do interior é possível eleger três modos de condução – Normal, Eco e Slippery. Nota para o segundo, que se encontra disponível apenas para o modelo com caixa manual e que ajusta o motor e a resposta do acelerador para maior poupança, e para o terceiro, que ajusta o ESC e o controlo de tração para superfícies mais escorregadias, como neve ou gelo, prevenindo a perda de motricidade e a patinagem das rodas.

Motores para todos os gostos

O estilo de vida ativo do Fiesta pode ser associado a motores 1.0 EcoBoost de 85 CV, 125 CV e de 140 CV e ao Diesel 1.5 TDCi de 85 CV e de 120 CV, os quais respeitam as mais recentes normas anti-emissões Euro 6. Com uma estrutura tricilíndrica que tem merecido prémios nos últimos anos, o bloco 1.0 EcoBoost da Ford dispõe de tecnologias de injeção direta de gasolina de alta pressão e de uma árvore de cames inovadora projetada para melhorar o refinamento do motor de três cilindros, dessa forma eliminando as vibrações.

Os motores EcoBoost da Ford podem ser associados a uma nova caixa manual de seis velocidades com arquitetura de baixa fricção ou a uma caixa automática de seis velocidades com patilhas atrás do volante no caso do motor com 100 CV. Pelo lado dos Diesel, ambas as verões surgem com caixa manual de seis velocidades (emissões de CO2 a partir dos 103 g/km e consumos desde 4,0 l/100 km). O motor TDCi beneficia de desenho das câmaras de combustão otimizado, turbo de geometria variável e sistema de injeção de combustível mais refinado. Um sistema de regeneração da energia resultante de momentos sem carga no acelerador ou em travagem permite melhorar a eficiência. Também neste capítulo, tira partido da tecnologia start-stop e de Grelha Ativa com Fecho Automático para melhorar a eficácia aerodinâmica sempre que as necessidades de arrefecimento assim o permitam.

Ao nível do equipamento, o Fiesta Active estará disponível apenas no módulo mais equipado, contando por exemplo com o sistema de conectividade e comunicações SYNC 3. Opcionalmente, um sistema áudio de alta qualidade da Bang & Olufsen, denominado B&O PLAY, permite contar com dez altifalantes, incluindo um subwoofer montado na traseira.

Quanto a preços, os mesmos deverão começar nos 18.326€ para o 1.0 EcoBoost Active de 85 CV com caixa manual. Já a versão EcoBoost com 100 CV tem um preço de 18.777€. O TDCi de 85 CV tem o respetivo preço de entrada nos 21.844€.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.