A Mitsubishi revelou a mais recente geração do ASX para o segmento dos SUV-B, surpreendendo com uma imagem praticamente colada à do ‘primo’ Renault Captur naquela que é uma declaração de compromisso para com a Europa. Será proposto em diferentes motorizações, incluindo híbrido Plug-in (PHEV) e convencional.

O novo ASX (acrónimo de ‘Active Sports X-over’) vem substituir a bem-sucedida geração anterior, cujas vendas atingiram mais de 380 mil unidades na Europa, tirando partido da plataforma CMF-B desenvolvida pela aliança Renault-Nissan-Mitsubishi. Esta plataforma destaca-se pela versatilidade de aplicação de diferentes sistemas propulsores, nomeadamente híbrida plug-in (Plug-in Hybrid Electric Vehicle, PHEV), 100% híbrida (Hybrid Electric Vehicle, HEV) ou semi-híbrida (Mild Hybrid).

Notavelmente, a identidade do ASX não foge ao estilo do Captur, embora a Mitsubishi tenha aplicado o seu próprio conceito conhecido por ‘Dynamic Shield’, enquanto a traseira revela novos farolins com tecnologia LED e a denominação ‘Mitsubishi’ em posição central no porta-bagagens. O novo ASX pode receber jantes de 17” ou 18” polegadas.

À data do lançamento estarão disponíveis seis cores da carroçaria, que podem ser conjugadas com um tejadilho em preto nas versões de equipamento mais elevadas.

No interior, o ecrã Digital Driver ganha proeminência à frente do condutor, sendo a versão mais completa com ecrã de 10 polegadas que é personalizável e oferece instruções de navegação. Além dessa, o ASX tem ainda dois outros sistemas de apresentação, nomeadamente, um painel analógico de base, com ecrã de 4.2 polegadas, e um intermédio com ecrã de 7.0 polegadas.

O sistema de áudio com ligação a smartphone (Smartphone Link Display Audio – SDA), instalado em posição central, atua como principal meio de ligação entre o condutor e os sistemas de assistência à condução e de informação e entretenimento. Através dos ecrãs de 7.0” ou de 9.3”, as aplicações Apple CarPlay e Android Auto permitem a replicação sem fios das funcionalidades do smartphone, integrando o equipamento de série. As versões de equipamento superiores incluem também o sistema áudio BOSE Premium.

Outros sistemas de conforto passam pelo funcionamento sem chave, que é equipamento de série em todas as versões, excetuando nas de entrada, ar condicionado automático, bancos com aquecimento e do volante (opcionais).

A capacidade de carga é de 332 litros, que pode ser aumentada em 69 litros quando o banco traseiro deslizante é colocado na sua posição mais avançada.

Escolha quase total – do convencional ao híbrido

A gama de motorizações é composta por uma quase totalidade de opções, faltando apenas a versão movida unicamente a energia elétrica, que não está prevista, de resto, para este novo ASX. A título de curiosidade, todas estas opções são provenientes do ‘cardápio’ Renault, tirando o máximo partido da sinergias de grupo.

Assim, na base da gama está o motor 1.0 turbo de três cilindros 1.0 MPI-T de 91 CV e 160 Nm de binário, estando associado a uma caixa manual de seis velocidades.

Iniciando a vertente da eletrificação, a Mitsubishi propõe o 1.3 turbo DI-T de injeção direta, conjugado com um sistema semi-híbrido. Este incorpora um gerador de arranque por correia, em combinação com uma bateria de iões de lítio de 12 V, o que lhe permite recuperar energia quer durante a desaceleração, quer durante a travagem, além de oferecer assistência elétrica ao motor. Com esta motorização, estão disponíveis uma caixa manual de seis velocidades ou uma caixa automática de sete velocidades e dupla embraiagem (7DCT). Tem uma potência de 140 CV e 260 Nm quando equipado com caixa manual e 160 CV e 270 Nm na versão de caixa automática.

Além disso, o ASX de nova geração será o primeiro modelo da Mitsubishi na Europa com um grupo propulsor 100% híbrido (HEV), conjugando um motor de 1.6 litros a gasolina com dois motores elétricos e uma caixa de velocidades automática multimodo, tendo sido uma solução estreada há dois anos nos Renault Clio e Captur. Tem uma potência de 145 CV e 148 Nm de binário, com a bateria compacta a dispor de 1.3 kWh de capacidade.

Por fim, o topo de gama do novo ASX será a versão híbrida plug-in (PHEV), que conjuga um motor de 1.6 litros a gasolina com dois motores elétricos e uma bateria de 10.5 kWh, tratando-se de configuração que apenas a Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi oferece no segmento B-SUV. Debita também 160 CV e 144 Nm, ao passo que a autonomia em modo elétrico ronda os 50 quilómetros em ciclo combinado (ainda não homologado de acordo com a norma WLTP).

Integrados numa gama de versões bem equipadas e de fácil utilização, todos os grupos propulsores estarão disponíveis à data de lançamento, em março de 2023 (a gama pode variar em função dos mercados).

À disposição do condutor estão ainda os modos de condução distintos do sistema Multi-Sense, o qual permite ao condutor personalizar a resposta da direção, o controlo dinâmico do chassis e a rapidez da entrega de potência. Através deste sistema, podem ser selecionados três modos de condução (consoante a motorização – o de combustão não dispõe de modo elétrico, naturalmente), entre o ‘Eco’ (máxima eficiência), ‘Pure’ (100% elétrico) e ‘Sport’ (máxima entrega da potência). Adicionalmente, há ainda um modo individual ‘My Sense’, que é ajustado de acordo com as preferências do condutor.

Alta segurança

O ASX possui proteção dos peões reforçada pelo Sistema de Mitigação de Colisões Frontais (Forward Collision Mitigation, FCM), fornecido de série, enquanto o capot, o para-choques dianteiro, os faróis e a parte inferior do para-brisas foram especialmente adaptados para diminuir a probabilidade de lesões. Apresenta ainda um conjunto completo de Sistemas Avançados de Assistência ao Condutor (Advanced Driver Assistance System, ADAS), que garantem a máxima segurança e tranquilidade na condução.

Todas as versões contam de série com os seguintes equipamentos: Sistema de Mitigação de Colisões Frontais com Proteção de Peões, Aviso de Distância, Aviso de Saída da Faixa de Rodagem, Assistência à Manutenção na Faixa de Rodagem, Reconhecimento de Sinais de Trânsito, Cruise Control, Sensores de Estacionamento e Câmara Traseira.

Nas versões com especificações mais elevadas, juntam-se o Aviso de Ângulo Morto, Assistência à Centragem na Faixa de Rodagem, Prevenção de Excesso de Velocidade, Cruise Control Adaptativo (com abrandamento e retoma de aceleração) e Acionamento Automático de Luzes de Máximos.

À semelhança do que ocorre com todos os veículos Mitsubishi em comercialização na Europa, o novo modelo terá cinco anos de garantia ou 100.000 quilómetros, garantia da bateria de tração de oito anos ou 160.000 km.

O novo Mitsubishi ASX será produzido na fábrica da Renault em Valladolid, Espanha. Chega a Portugal em março de 2023.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.