Valkyrie AMR Pro: A maior excentricidade da história da Aston Martin

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Além de estar a criar um hiperdesportivo para dominar nas estradas públicas (previsivelmente com um preço ao alcance de muito poucos…), a Aston Martin prepara igualmente uma versão do Valkyrie para arrebatar os circuitos – embora não para competição.

O Valkyrie AMR Pro está a ser desenvolvido como uma evolução unicamente pensada para pista, em paralelo com o modelo de estrada, assumindo-se como o Aston Martin mais extremo da sua história. O facto de ter como foco a pista permite-lhe ser concebido sem qualquer restrição imposta por questões de homologação para utilização rodoviária, com a marca de Gaydon a colocá-lo como “a derradeira expressão em termos de performance”.

Concebido pelo génio de Adrian Newey, o mais bem-sucedido engenheiro da Fórmula 1 de todos os tempos, e ao abrigo de uma cooperação estreita entre a Aston Martin e a Red Bull Advanced Technologies, este hiperdesportivo extremo terá produção limitada a apenas 25 unidades com as entregas previstas para o ano de 2020. O desenvolvimento do carro tem ainda o auxilio da AF Racing.

No que diz respeito ao capítulo técnico, uma das principais mudanças deste Valkyrie AMR Pro e o modelo de base está no pacote aerodinâmico, com todas as superfícies a merecerem uma revisão para incrementar os níveis de carga aerodinâmica, notando-se ainda a adição de uma asa traseira muito maior e de um splitter dianteiro também mais proeminente. Esses elementos juntam-se à aerodinâmica ativa pensada especificamente para a pista.

Mas também o motor V12 atmosférico de 6.5 litros construído pela Cosworth sofre alterações, debitando mais potência e binário, graças à afinação diferente do motor e do sistema de controlo de emissões poluentes do carro de estrada. A afinação do sistema de recuperação de energia fornecido pela Rimac também será alterada, embora a sua capacidade se mantenha idêntica. Apesar de indicar mais potência, a marca não adianta valores para o motor nem mesmo para as performances, indicando, porém, que será capaz de obter tempos por volta semelhantes aos atuais Fórmula 1 ou carros da categoria LMP1. Sabe-se, contudo, que poderá atingir velocidades a rondar os 400 km/h e gerar forças laterais até 3.3g e de paragem superiores a 3.5g.

Tudo pela performance

Isto porque, além do aumento da potência e da carga aerodinâmica, a Aston Martin e a Red Bull promoveram igualmente uma redução do peso de base graças à remoção de elementos considerados supérfluos como os ecrãs de infoentretenimento e instalação de componentes específicos de corrida. Entre eles, um para-brisas e janelas em policarbonato, carroçaria em fibra de carbono com construção mais leve, suspensão com novos elementos em carbono e bancos de competição igualmente mais leves no lugar dos bancos ajustáveis do veículo de estrada. Também o sistema de escape deste AMR Pro terá um peso inferior.

Além disso, os pneus têm um diâmetro menor do que no carro de estrada (18 polegadas nos dois eixos) de maneira a comportar os pneus de competição da Michelin, com as mesmas especificações dos pneus atualmente utilizados pelo LMP1 no Mundial de Endurance (WEC). No leque de alterações, nota também para os discos de travão em carbono com elevada eficiência de travagem.

Atendendo a todos os predicados dinâmicos deste Valkyrie AMR Pro, os compradores terão de cumprir um intensivo programa de pilotagem para se acostumarem às capacidades do modelo. Como tal, terão programas personalizados e acesso às mesmas instalações da Red Bull F1 Team que os pilotos da formação de Fórmula 1, incluindo mesmo passagens pelos simuladores, acompanhamento de pilotos em pista e programas para fortalecer o corpo de forma a suportar os requisitos deste desportivo.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.