Volvo V90 D5 Inscription: O segredo está no ar!

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Vive-se um momento particularmente feliz na Volvo, com o lançamento da mais recente geração 90, seja em que declinação for. Da S90 à V90, passando pela V90 Cross Country, a Volvo tem uma gama cada vez mais completa e, mais importante do que isso, competente. Se, no caso da V90 Cross Country manda a robustez e a ousadia de dar continuidade a um conceito que tão bons resultados tem oferecido, há ainda espaço para as variantes mais convencionais, das quais a carrinha V90 é um bom exemplo.

As linhas robustas e muito retas escondem um carácter que confere à carrinha sueca um visual muito singular, com agressividade e requinte sabiamente equilibrados. Note-se, na secção dianteira, os faróis com a assinatura luminosa do ‘Martelo de Thor’, como a marca apelida o ‘T’ deitado, que impõem uma visão única. Um bom exemplo de que o rigor sueco é uma realidade. Para complementar a informação atrás descrita, Thor é um deus da mitologia nórdica, tratando-se daquele com o ‘pelouro’ das batalhas e dos trovões e tempestades.

Volte-se à realidade terrena para apreciar um dos pontos de maior validade desta carrinha, a qualidade geral de construção, que é uma mais-valia em todos os aspetos. O interior não escapa a esta apreciação, com uma atenção ao detalhe que acentua o lado Premium da marca de Gotemburgo. Para onde quer que o olhar seja ‘atirado’, encontram-se pormenores de qualidade, como é o caso dos revestimentos interiores das portas ou dos materiais do tabliê, mesmo na parte inferior. Depois, há a simplicidade de que a Volvo é tão adepta, com muitos dos sistemas e comandos a passarem para o enorme ecrã tátil vertical colocado na consola central – sistemas de áudio, navegação, segurança, de assistência e aplicações são facilmente controláveis no ecrã tátil de grandes dimensões. Spotify? Está lá! Navegação? É só andar para o lado com o dedo, como num tablet. O seu funcionamento e intuição permanece entre os melhores de todos os disponíveis no mercado, mesmo que também tenham ido na ‘onda’ de colocar os comandos da climatização no mesmo.

A família é grande? O espaço também, fruto das suas dimensões generosas (4.936 mm de comprimento e 2.941 mm de distância entre eixos): atrás o comprimento disponível para as pernas dos ocupantes é imenso e a altura do assento ao tejadilho é igualmente apropriado até para adultos de maior estatura. Como os nórdicos. Apenas a largura de ombros é menos interessante, mas nem por isso um ponto negativo na apreciação da habitabilidade. Além disso, todos os passageiros vão sentados com conforto, proporcionando viagens relaxadas, tanto mais que isso surge em linha com o esforço que esta V90 coloca no lado dinâmico.

Comprida e com grande distância entre eixos, a V90 não é propriamente ágil em percursos sinuosos, preferindo antes um ritmo mais pacífico. Mas isso não quer dizer que não se demonstre à altura quanto é preciso desfeitear uma estrada secundária, apenas que é preciso uma maior dose de empenho e de atenção na forma como a carroçaria se inclina no decurso da curva. A direção, precisa, ajuda a um bom feeling de condução, mas é na total obtenção de viagens em requinte que a V90 realmente sobressai. A insonorização, o conforto dos bancos e a forma como a suspensão trabalha na superação dos buracos, lombas e depressões do asfalto é exemplar. Ainda assim, se pretende conforto acima de tudo, a variante Cross Country está um pouco acima nesse aspeto, uma vez que o maior curso da suspensão permite um amortecimento mais flexível com uma diminuição irrisória da vertente dinâmica em curva.

O ar é de todos

Com esta versão Diesel D5 a Volvo introduziu uma novidade que impressiona – o Power Pulse: se a Audi, entre outras, aposta em turbos de acionamento elétrico, a Volvo quis combater o ‘turbo-lag’, o atraso na resposta do turbocompressor, de forma diferente e… surpreendente. Basicamente, o turbo deste motor Diesel tem um funcionamento possibilitado pelo ar fresco que é ‘sugado’ no filtro de ar, comprimido e armazenado num pequeno tanque para ser, depois, ‘atirado’ em alta pressão no coletor de escape, de onde é enviado o fluxo para fazer rodar o turbo. Sendo o ar inesgotável (e de todos…), é um sistema engenhoso!

O resultado impressiona, uma vez que a V90 com o motor D5 de 235 CV é impulsionada para a frente com tremendo ímpeto e com subidas de regime em que o turbo não denota, como pretendido, qualquer atraso. Obtém-se, assim, uma aceleração constante e pujante que torna a condução muito agradável, tanto mais que a caixa de velocidades Geartronic de oito velocidades consegue tirar partido referencial do potencial desta unidade turbodiesel.

O modo Dynamic dos estilos de condução é aquele que permite extrair o verdadeiro potencial desta carrinha, que vai dos 0 aos 100 km/h em apenas 7,0 segundos, uma prova de competência, ao fim ao cabo, mesmo que sejam as recuperações (480 Nm de binário) e a facilidade das respostas que mais o irão surpreender. Tanto mais que o peso desta carrinha aproxima-se das duas toneladas (1.817 kg), pelo que a sua rapidez a acelerar é muito bem-vinda.

Há um preço, contudo, a pagar por toda esta disponibilidade. Os consumos tendem a nunca ser muito baixos, sendo muito mais comum andar com uma média a alternar entre os sete e os oito litros de gasóleo por cada 100 quilómetros, ficando assim longe dos 4,9 l/100 km anunciados pela companhia sueca.

Além do já referido modo Dynamic, conta ainda com os Eco, Normal e Individual, que atuam ao nível do amortecimento, respostas do motor e na atuação da caixa automática.

Nota, ainda, para o capítulo da segurança, no qual a Volvo volta a merecer distinção máxima com um modelo repleto de elementos importantes, como já é seu apanágio, merecendo destaque o cruise control adaptativo ou o assistente de manutenção na faixa de rodagem. Outros sistemas, como o de alertas no ângulo morto (BLIS) são propostos como opcionais, com um custo de 615 euros.

Veredicto

A Volvo V90 foi eleita ‘Carrinha do Ano’ na mais recente edição do Carro do Ano no nosso país e mereceu também muitos galardões noutros territórios e percebe-se a razão. Combina aquilo que de melhor se pode encontrar numa carrinha do segmento Premium, com espaço, refinamento de condução e de rolamento, versatilidade, conforto a bordo, excelência na construção e um foco na segurança que, ao fim e ao cabo, coloca este modelo como o mais seguro do seu segmento. Cereja no topo do bolo, o motor D5 com a tecnologia Power Pulse é uma preciosidade digna de explorar. Thor deve estar orgulhoso!

‘Devo comprar?’ A esta pergunta, a resposta é simples: sim. A carrinha exibe uma série de argumentos que fazem dela uma opção muito apreciável no mercado, sobretudo para quem quer estatuto, mas também pretende a qualidade de vivência a bordo que é habitual nos modelos do género e segurança acima de qualquer suspeita para uma paz de espírito ímpar. Porém, note que se pretende uma opção um pouco mais dinâmica, a concorrência tem igualmente propostas interessantes com preços nesta faixa.

Características 
Motor4 cil. em linha turbocompressor, Power Pulse, injeção direta
Cilindrada1.969 cc
Potência235 CV/4.000 rpm
Binário480 Nm/1.750-2.250 rpm
TransmissãoCaixa automática de 8 velocidades, tração integral
Vel. máxima240 km/h
0-100 KM/H7,0 seg
Consumo médio oficial (medido)4,9 l/100 km (7,9 l/100 km)
Emissões CO2129 g/km
Comp/larg/alt.4936 / 1879 / 1475 mm
Distância entre eixos2.941 mm
Peso1.796 kg
Mala560-1.526 litros
Depósito60 litros
Suspensão dianteira/traseiraIndependente /eixo multibraços 'multilink'
Pneus série/ensaiado245/45 R18
Travões dianteiros/traseirosDiscos ventilados/discos ventilados
Preço (ensaiado)69.819 (85.742€)

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.