Os aviões deverão demorar mais alguns anos a tornarem-se autónomos que os autónomos, mas para voos curtos a tecnologia já está aí. Este drone autónomo completou o seu primeiro teste de voo com carga, simulando uma evacuação de emergência para a IDF (Forças de Defesa de Israel). O teste teve lugar no aeródromo de Megiddo, e permitiu à unidade de segurança militar israelita avaliar a probabilidade de fazer transporte de emergência de feridos pelo ar, num traçado pré-programado.

Construído pela Tactical Robots em Israel, o Cormorant é um veículo urbano aéreo compacto, capaz de levantar voo e aterrar de forma vertical, equipado com dois rotores capazes de gerar o equivalente 985 cv de potência. Isto permite-lhe atingir uma velocidade máxima de 180 km/h, e tem um depósito que pode armazenar até 440 kg de combustível, grande o suficiente para o manter no ar até duas horas e 40 minutos. A sua estrutura permite-lhe flutuar na mesma posição com ventos até 70 km/h.

Na simulação de missão, o Cormorant demonstrou que pode ser usado tanto em uso civil como militar, sendo capaz de transportar carga pesada ou pessoas no compartimento interno, que tem 1540 litros de capacidade, e um compartimento externo, que oferece 1100 litros adicionais. O seu peso bruto máximo é de 1682 kg, o que na prática permite-lhe transportar mais de 750 kg de carga. Como está previsto que seja capaz de operar em cidades, este drone autónomo vai estar preparado para ser menos ruidoso que um helicóptero. O sistema autónomo deverá permitir-lhe fazer transportes constantes entre um local de recolha e outro de entrega.