Os aviões têm certos obstáculos que os têm impedido de aderir às tecnologias híbridas e elétricas do mesmo modo que os automóveis e até que algumas embarcações. Mas várias empresas e instituições têm encarado esses entraves como um desafio, incluindo a NASA, que está ativamente a trabalhar para criar um avião que possa funcionar com um motor elétrico, tornando-se menos poluente e mais silencioso.

A NASA tem vindo a desenvolver várias inovações tecnológicas em protótipos diferentes, e o Centro Glenn de Pesquisa é o laboratório mais dedicado à criação do motor “turbo-elétrico” para aviões. A ideia é combinar tecnologias como uma turbina de gás compactado, sistemas de combustão de baixa emissões, propulsão com suporte elétrico e sistemas de admissão utilizando o ar preso na fricção gerada pela fuselagem.

O resultado final desta pesquisa vai ser o novo X-Plane da NASA, denominado STARC-ABL (um acrónimo complicado que no fundo vai significar “avião turbo-elétrico”) com uma forma semelhante à de um tradicional Boeing 737, mas que vai ser bem mais eficiente. Os motores das asas vão gerar 80 por cento da força a levantar voo e 55 por cento em altitude, com o motor elétrico montado na cauda a fornecer o resto da energia. O objetivo é reduzir o consumo de combustível da aviação comercial em cerca de 10 por cento.

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.