O aquecimento global continua a atacar e fez um rio no norte do Canadá praticamente desaparecer do mapa no espaço de um ano. O rio já estava a perder caudal, com o Glaciar Kaskawulsh, localizado no norte do Canadá, a recuar no último século. Mas a situação intensificou-se, como foi comprovado por um estudo feito pelo geólogo Dan Shugar.

Shugar, investigador na Universidade Washigton Tacoma, já conhecia o conceito de pirataria fluvial, em que a fonte do caudal de um rio é redirecionada para outro. Num artigo publicado na edição deste mês da revista americana Natural Geoscience, Shugar exemplificou como o rio Slims se alterou no espaço de 365 dias, começando a 4 de outubro de 2015 e terminando exatamente um ano depois.

Este rio, que começa no território do Yukon, no norte do Canadá, e termina no Mar de Bering, perdeu grande parte do seu caudal para o rio Kaskawulsh, outro curso de água que nasce no glaciar. Este rio servia para alimentar o lago Kluane, que está quase seco. O caudal perdido deixou uma garganta profunda no território, mas o novo terreno seco ainda é intransponível, por estar bastante lamacento. O lago teve uma queda abrupta de profundidade entre 26 e 29 de maio do ano passado.

Dan Shugar também notou que este estudo poderá virar o interesse científico no conceito de aquecimento global para outras áreas. Até aqui, este centrava-se essencialmente na subida dos níveis do mar, mas este caso nota que afeta negativamente território localizado no interior dos continentes, em termos de água disponível no meio ambiente, e na biodiversidade de uma região.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.