O uso de arquitetura urbana para trazer a natureza de volta para as cidades não é novidade nenhuma, como as florestas verticais que o arquiteto italiano Stefano Boeri construiu em várias cidades ao redor do mundo. Mas há quem queira ir mais longe, e aproveitar para trazer para a cidade espécies vegetais que façam mais que purificar o ambiente. É o caso da Plantagon, uma empresa sueca que pretende criar um arranha-céus para produção agrícola.

O projeto da Plantagon é o World Food Building, que a empresa descreve como um “plantscraper” (ou “arranha-plantas”, o nome perde qualquer coisa na tradução), com o objetivo de criar uma gigantesca quinta vertical na cidade sueca de Linköping. O projeto começou em 2012 e deverá estar pronto em 2020, sendo que primeiro foi necessário construir o edifício, e depois a estufa.

A ideia é produzir vegetais para alimentação em quintas hidropónicas, cobrindo todo o edifício com janelas, de modo a reduzir o impacto ambiental, maximizando o aproveitamento energético e anulando o desperdício de água. A gestão do espaço será feita de forma autónoma por uma inteligência artificial, e os 16 andares do prédio deverão produzir comida suficiente para alimentar 5000 pessoas por ano, ao mesmo tempo que se acaba com o transporte do campo para as cidades.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.