No final do ano passado, as autoridades chinesas anunciaram que vão deixar de importar plástico não reciclado, o que deixou o mundo ocidental à procura de soluções. A União Europeia já reagiu, e iniciou um programa de investigação que leve à redução do uso de plásticos não recicláveis até 2030.

A União Europeia vai investir 350 milhões de euros para acabar com plásticos, que, como descreveu o vice-presidente da comissão, Frans Timmermans, “demoram cinco segundos a fazer, cinco minutos a utilizar e 500 anos a desfazer-se”. A curto prazo, vai ser feita uma análise sobre o impacto do uso de plásticos na natureza, mas o único método de resolução proposto seria uma taxa de plásticos, que poderia ser usado para tapar o “buraco” no orçamento de 13 mil milhões de euros causado pelo Brexit.

No entanto, esta seria uma solução a curto prazo. Um dos objetivos é reduzir o uso de plásticos não recicláveis até 55 por cento em 2030, e o uso anual de sacos de plásticos de 90 por pessoa para 40 por pessoa até 2026. Timmermans vê a educação da população como a forma mais eficaz de mudar comportamentos típicos, especialmente ao nível das camadas mais jovens.