Não interessa qual é o país da Europa, as principais artérias das grande metrópoles e dos seus arredores estão entupidas com veículos automóveis à hora de ponta. Mesmo com a bicicleta a conquistar mais utilizadores todos os anos, várias condições contribuem para uma preferência pelo automóvel para as deslocações durante a semana. Mas e se o Governo começasse a pagar para as pessoas andarem de bicicleta? Não é algo que vemos a ganhar fama em Portugal, mas a Holanda vai começar a fazer algo parecido.

A Holanda é um dos países onde o público mais se desloca de bicicleta, especialmente em trânsito local. A geografia do país, com poucas elevações, é ideal para incentivar as pessoas a pedalar. Mas apesar de existirem mais bicicletas que pessoas, ainda existem zonas onde o tráfego automóvel é demasiado elevado para o gosto das autoridades. É o caso de Eindhoven, capital da província do Brabante, onde já existem incentivos para as pessoas trocarem o carro pela bicicleta.

O projeto B-Riders inclui várias medidas para facilitarem a escolha pelas bicicletas. Para isso, as grandes e médias empresas são incentivadas a pagar 19 cêntimos por quilómetro percorrido para o trabalho. Este valor é depois abatido nos impostos, tal como os custos na construção de acessos e parques para bicicletas, em adição a poderem aproveitar área normalmente usada para estacionamento. As empresas também beneficiam de trabalhadores mais saudáveis e com menor possibilidade de colocarem baixa por doença, e os novos ciclistas continuam a andar de bicicleta normalmente, mesmo quando não estão a receber o incentivo.

Esta iniciativa tem o apoio da vice-ministra do Equipamento, Stientje van Veldhoven, que afirmou querer tirar 200 mil automóveis da estrada, estimulando o uso da bicicleta. Sem carros, o tráfego na hora de ponta é eliminado e também melhora o ambiente para os ciclistas. Talvez alguém queira fazer o mesmo incentivo em Portugal.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.