A Holanda utiliza celulose para endurecer o asfalto usado nas rodovias e ciclovias. No entanto, grande parte da celulose utilizada no país é incinerada depois de ser retirada nas estações de tratamento de água, já que é proveniente de papel higiénico. Felizmente, uma província holandesa encontrou uma maneira de não só reaproveitar esta celulose, mas também de usá-la como material principal em pavimento para bicicletas.

Leeuwarden, capital provincial da Frísia, passou a contar com um quilómetro de ciclovias ligando esta cidade à urbe mais próxima, Stiens, construídas com celulose terciária, extraída de papel higiénico reciclado.

Na Holanda, 180 mil toneladas de papel higiénica são deitadas fora no sistema de esgoto. Em vez de a incinerar, este material pode não só ser reaproveitado para a produção de superfícies asfaltada, como evitar a incineração permite impedir o envio de vários quilogramas de dióxido de carbono para a atmosfera. O asfalto feito com celulose terciária é indistinto do feito com celulose primária. Isto também permitiria ao estado holandês poupar até 32,4 milhões de euros por ano no transporte para a incineradora.